♥ Seguidores♥

Mostrando postagens com marcador #arteecultura. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador #arteecultura. Mostrar todas as postagens

segunda-feira, 27 de março de 2017

Coisa De Mulher.

Coisa De Mulher.
Walter Jr.
Coisa de Mulher, de Walter Jr., é uma bem-humorada paródia do cotidiano de Núbia de La Canastra, uma apresentadora famosa de um programa feminino de sucesso na tv que já não suporta  mais lidar com sua rotina enfadonha de trabalho.

Infelizmente ela não tem outra saída a não ser cumprir seu papel, o que alias, faz maravilhosamente bem.

Até o momento do primeiro comercial...
(Sinopse retirada do programa da peça).
Deize Paz,Octávio Mendes, Márcia Manfredini, e participação em vídeo de Adriana Lessa.
Nos divertimos demais assistindo Coisa De Mulher, super recomendo.
Somos fãs e admiradores de Maximiliana Reis, que é a responsável pela direção, junto com  Octávio Mendes da peça Coisa De Mulher.
Teatro Gazeta.
Sexta 22H45-Sábado 22:00H-Domingo 20:00H

sexta-feira, 17 de março de 2017

O Homem Das Cavernas.

O Homem Das Cavernas.
Rob Becker.
A peça é uma brincadeira divertida e perspicaz sobre as formas como homens e mulheres se relacionam, conseguindo que ambos os sexos morram de rir e se reconheçam. O ator Norival Rizzo interpreta personagem que repensa sua vida amorosa enquanto, inspirado no homem das cavernas, disseca as diferenças entre homens e mulheres.Com um efeito pacificador nos desentendimentos entre homens e mulheres.
A primeira montagem estreou em São Francisco, em 1991, e foi rapidamente levada para Dallas, Washington, Philadelphia e Chicago, antes de sua estreia na Broadway, em 1995. Depois de dois anos e meio e 702 apresentações no teatro Helen Hayes Theater, “O Homem das Cavernas” entrou no livro dos recordes como o monólogo que mais tempo ficou em cartaz na história da Broadway. Rob Becker escreveu “O Homem das Cavernas” depois de um período de três anos de estudo informal de antropologia, pré-história, psicologia, sociologia e mitologia. Usou como base as informações para criar um texto com grande capacidade de comunicação com o público.
 Teatro Folha, com sessões as terças e quartas-feiras, 21h.

quarta-feira, 15 de março de 2017

God.

God.
Versão brasileira de Miguel Falabella.
Do vencedor do Emmy Award Winner David Javerbaum,  e estrelado por Miguel Falabella, o aclamado e premiado espetáculo fez um enorme sucesso na Broadway sendo definido pelo The New York Times como: "Delirantemente, DIVINAMENTE engraçado!", chega ao Brasil.
Agora, o Rei do Universo está vindo para (colocar o nome da cidade da vez) pela primeira vez! Deus toma forma através de brilhante e único Miguel Falabella, fantasticamente engraçado. Deus e seus anjos dedicados respondem a algumas das questões mais profundas que têm atormentado a humanidade desde a Criação... e apenas 90 minutos!
De uma forma muito particular, o Deus de Miguel Falabella vem para arrancar muitas risadas do público e esclarecer os maiores segredos do universo, ou pelo menos, do Brasil. Afinal, Deus não é brasileiro?
Informações retiradas do site: Ingressorapido
Teatro Procópio Ferreira.

terça-feira, 14 de março de 2017

Les Misérables

Les Misérables.
Um musical baseado no livro de Victor Hugo.
Chega no primeiro semestre de 2017 ao Teatro Renault, a superprodução francesa que encantou a Broadway: Les Miserábles. Vista por mais de 70 milhões de pessoas em 44 países ao redor do mundo e vencedora de mais 125 prêmios de teatro, incluindo 8 prêmios Tony. O musical mais antigo do mundo é baseado no clássico romance de Victor Hugo. Não perca e venha assistir essa verdadeira obra-prima.
Sinopse: Depois de 19 anos preso, Jean Valjean é colocado em liberdade e, de volta a sociedade, ele é malvisto em todos os lugares por onde passa. Somente o bispo de Digne o trata com bondade. Mas Valjean, amargurado por anos de dificuldades, rouba o único homem que o ajuda. Por conta disso, Valjean é novamente preso, mas fica surpreso que o bispo mente para salvá-lo. É neste momento que Valjean decide recomeçar sua vida. Confira essa história fascinante de sonhos, amor, paixão, sacrifício e redenção - um testemunho atemporal para a sobrevivência do espírito humano.
Elenco: Leo Wagner, Nando Pradho, Kacau Gomes, Clara Verdier, Laura Lobo, Filipe Bragança, Pedro Caetano, Ivan Parente, Andrezza Massei, Davi Barbosa, Max Grácio, Letícia Soares, Luiza Nery, Toby Carvalho, Matheus Leandro. 
Teatro Renault.

segunda-feira, 13 de março de 2017

Baixa Terapia.

 Baixa Terapia. 
Uma Comédia No Divã.
Direção de Marco Antônio Pâmio.
Autor: Matias Del Federico.
Em cartaz em São Paulo a partir de 17 de março, Baixa Terapia é uma debochada comédia com um final que pega todos de surpresa. Três casais, um após o outro, chegam para uma sessão de terapia. Quando se encontram, descobrem que esta sessão será em grupo e ainda que a psicóloga não estará presente. Ela deixou a sala preparada para recebê-los com um pequeno bar - onde não falta whisky, e uma mesa com envelopes numerados com instruções passo a passo de como devem conduzir essa sessão especial. O objetivo é que todas as questões sejam resolvidas em grupo. A partir daí vem à tona queixas, confissões, suspeitas, revelações, verdades e mentiras da maneira mais escrachada para eles e divertidíssima para o público. (Informações retiradas do site: Ingressorapido).
Assistimos ao ensaio aberto e nos divertimos demais. Super indico.
Elenco composto por Antonio Fagundes, Mara Carvalho, Alexandra Martins, Ilana Kaplan, Fábio Espósito e Bruno Fagundes.
TUCA – Teatro da PUC-SP
Dias: Sex às 21h30, Sab às 20h00 e Dom às 19h00
Duração:80 minutos
Indicação de faixa etária: 14 anos

quarta-feira, 8 de março de 2017

Há Sempre Algo De Ausente Que Me Atormenta.

Há Sempre Algo De Ausente Que Me Atormenta.
Autor:Marcelo Novazzi.
Elenco:Miriam Palma e Paula Ernandes.
A peça "Há sempre algo ausente que me atormenta " discorre sobre as reflexões e angústias da escultora francesa Camille Claudel, em 1932, num manicômio, na França, onde a artista está internada. A ação se passa a partir de carta que Camille recebe do amigo e incentivador Eugene Blot. A personagem começa a questionar sua vida, seu romance com Rodin e sua obra, e perceber quão entrelaçadas todas essas coisas estão. Mas, apesar da mágoa, existe ainda um lado ingênuo e romântico que faz com que ela, antagonicamente, nutra uma certa esperança de ter novamente uma vida normal, perto da família.

Pelo fato do texto apresentar esses dois lados da alma fragmentada da escultora, e também por conta da esquizofrenia da qual sofria, a personagem é interpretada por duas atrizes, que representam Camille em duas fases de sua vida no manicômio.

Esses dois “tempos” da personagem travam um diálogo/monólogo no espaço cênico dividido pelas atrizes num embate reflexivo em que a Camille madura interage como alter ego da outra. O título da peça se refere a uma frase que consta em carta escrita por ela ao escultor Auguste Rodin.

Informações retiradas da página:   https://www.facebook.com/hasemprealgodeausentequemeatormenta
Auditório da Martins Fontes, Avenida Paulista, 509. Sextas e sábados, às 20:30 h.

terça-feira, 28 de fevereiro de 2017

Erwin Wurm - O Corpo É A Casa.

Erwin Wurm - O Corpo É A Casa.
Exposição.
A exposição apresenta uma série de trabalhos do artista austríaco Erwin Wurm, que produz em suas obras um deslocamento de elementos do cotidiano para o campo da arte, reconfigurando objetos familiares como casas, carros, roupas e alimentos para um contexto inesperado, engraçado e ao mesmo tempo crítico em relação à sociedade contemporânea. Esses objetos transviados falam sobre eles próprios, mas falam ainda mais sobre cada um de nós.
Ermin Wurm é um  artista que faz as pessoas gostarem de arte. ele evoca uma dose de humor e irreverência que são universais e, em primeiro nível, muito acessíveis.
O artista coloca em questão coisas e formas presentes em nossa vida.
Seu trabalho é conceitual e interativo. Com formas distorcidas e expandidas.
O corpo e o comportamento humano estão também em discussão em suas “Esculturas de Um Minuto”, onde o público é convidado a seguir instruções para que se torne, ele mesmo, uma escultura do artista durante 60 segundos, numa espécie de performance não planejada.
O corpo é o objeto de trabalho constante na história da arte.
Com Wurm, a dieta passa a ter uma dimensão de exercício da fé contemporânea. "A dieta", diz ele, "é como uma filosofia que faz parte do nosso cotidiano: ela possui, de um lado, um aspecto físico, e, de outro, uma dimensão espiritual". Essa ambiguidade faz com que seja possível se referir tanto à dieta do consumismo quanto à dieta de alimentos.
Informações retiradas do site do CCBBSP e do folheto impresso.
CCBB
9H às 21H
Até 03.04.2017