♥ Seguidores♥

Mostrando postagens com marcador #teatromusical. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador #teatromusical. Mostrar todas as postagens

segunda-feira, 12 de junho de 2017

Alice No País do IÊ IÊ IÊ.

Alice no País do IÊ IÊ IÊ.
Direção Carla Candiotto.
Alice no País do IÊIÊIÊ é um espetáculo musical inspirado no clássico Alice no País das Maravilhas de Lewis Carroll. 
Neste musical, Alice é uma menina deslocada, que foge aos padrões e sofre bullyng na escola. Graças ao avô, dono de uma lojinha de discos e amante da Jovem Guarda, ela vai ganhar uma força e ir ao encontro do que sabe fazer melhor: Cantar. 
Estimulada e inspirada pelo avô, Alice embarca em um mundo de fantasias, quando é engolida pelo rádio vitrola portátil e é transportada para a década de 60.
Alice vai parar no auditório de um programa de TV e encontra o Coelho/Produtor, os personagens Boyzão, Boyzinho, Boyzudo e Boyzeco e a cantora Diva até chegar ao Rei.
Em suas aventuras, Alice enfrenta muitos perigos ate conseguir voltar para o mundo real.
A história de Alice gira em redor das canções dos anos 60, entre os sucessos apresentados no musical estão O Calhambeque, Negro Gato, Festa de Arromba, Este tal de Rock´n´roll e muito mais.
A peça além de ser uma viagem aos anos 60, mostra a importância do incentivo da família no desenvolvimento das crianças.
Informações: Theatro Net.
Ingressos: Ingresso Rápido.
Elenco: Amanda Doring, Deborah Marins, GiuMallen, Leandro Massaferri, Leo Araujo, Pedro Arrais, Rodrigo Naice, Rosana Chayn e Victor Maia.
Teatro Net.

video

segunda-feira, 22 de maio de 2017

Roque Santeiro - O Musical.

Roque Santeiro - O Musical.
Tudo começa quando Cabo Roque é dado como morto em batalha, sem nunca ter sido encontrado seu corpo. Com base nestes fatos, este suposto sacrifício por sua pátria faz nascer todo um comércio turístico na cidade de Asa Branca, que gira em torno do mito do herói. A população passa assim a viver em torno da memória de Roque. O turismo desenvolve-se em decorrência das inúmeras histórias sobre o herói, a cidade cresce cada vez mais com a venda de medalhinhas, bem como a realização de festas e eventos em homenagem ao soldado. Passados cerca de 20 anos, chega um homem à cidade, anunciando ser o Cabo Roque. Descobre-se então que o protagonista não morreu. A partir de então, dá-se início a várias tramas, resultando num final surpreendente.
Elenco: Jarbas Homem de Melo, Livia Camargo, Flavio Tolezani, Mel Lisboa, Luciana Carnieli, Edson Montenegro, Dagoberto Feliz, Nábia Villela, Yael Pecarovich, Giselle Lima, Marco França, Samuel de Assis, Cristiano Tomiossi. 
Texto: Dias Gomes. 
Direção: Débora Dubois. 
Direção musical: Zeca Baleiro.
Roque Santeiro - O Musical, foi o melhor presente que ganhamos da Virada Cultural 2017. Adoramos!
Teatro Faap.
As Informações sobre o musical foram retiradas da página do Teatro FAAP.

quinta-feira, 18 de maio de 2017

Lembro Todo Dia de Você.

Lembro Todo Dia De Você.
Thiago (Davi Tápias) é um jovem que se descobre soropositivo e inicia uma jornada de autoconhecimento em direção a questões decisivas de sua vida - como o abandono paterno, a descoberta da sexualidade, relacionamentos, amizades e o estigma enfrentado diariamente por pessoas com HIV.
Lembro Todo Dia de Você foi um projeto de pesquisa do Núcleo Experimental e tem treze canções originais com influências de vários gêneros, como pop, bolero, disco, jazz e música de jogos digitais. 
“Apesar dos avanços científicos que amparam a saúde de quem vive com HIV, os preconceitos, estereótipos e convenções que existem sobre o tema ainda criam um ambiente hostil para os portadores do vírus”, diz Zé Henrique.  Lembro Todo Dia de Você chega como uma reflexão sobre o efeito dessas questões na afetividade e emoções desse grupo e seus círculos sociais.
Zé Henrique de Paula diz que, para esse espetáculo, foram feitas pesquisas de campo com jovens portadores de HIV e instituições de amparo a esse grupo. Também foi decisiva para a criação da peça a participação de Rafa Miranda, compositor e regente que emprestou para a obra dados reais da sua vida e experiência como portador de  HIV.
“A falta de informação, a solidão, as inseguranças, as frustrações e o sentimento de culpa me deixavam submerso no medo. O Zé e a Fernanda me acolheram e me deram suporte, criando uma rede de segurança onde eu pudesse compartilhar meus sentimentos e sair do silencio”, diz Rafa. O jovem compositor diz que, ao ouvir os depoimentos de outras pessoas que vivem com HIV, os sentimentos relatados eram muito próximos dos seus, daí a necessidade de falar sobre as questões que atingem os soropositivos, assim como a dificuldade de dividi-las com outras pessoas.
Mesmo optando por essa abordagem, a diretora musical reforça que a peça não tem nenhuma pretensão didática ou panfletária. “A arte não dá respostas; ensina a fazer perguntas melhores, o que guia essa peça não são certezas, mas as dúvidas e questionamentos”, fala Fernanda. Sobre a escolha do gênero musical para falar sobre o assunto, Rafa Miranda complementa: “Há algo de poderoso na junção de música e texto que, só o texto ou só musica talvez não dessem conta de exprimir sozinhos”.
Ficha Técnica:
Texto/letras e direção musical: Fernanda Maia. Música: Rafa Miranda. Direção: Zé Henrique de Paula. Colaboradores: Herbert Bianchi e Zé Henrique de Paula. Elenco (que interpretam doze personagens)Anna Toledo, Bruna Guerin, Davi Tápias, Fábio Augusto Barreto, Fabio Redkowicz, Gabriel Malo e Zé Henrique de Paula. Músicos: Fernanda Maia (piano), Abner Paul (bateria), Benjamin Bernardes (violino), Branco Bernardes (viola), Clara Bastos (contrabaixo elétrico) e Felipe Parisi  (violoncelo).
Serviço:
Lembro Todo Dia de VocêEstreia dia 18 de maio, quinta-feira, às 20h, no CCBB São Paulo Temporada: Sextas, sábados e segundas, às 20h, e domingos, às 19h. Até 26 de junho. Ingressos: R$ 20 (inteira) e R$ 10 (meia). Capacidade: 140 lugares.  Classificação Indicativa: 16 anos. Duração: 100 minutos.

*O espetáculo fará sessão gratuita no dia 20 de maio, sábado, às 20h, como parte da programação da Virada Cultural de São Paulo. Retirada de senha a partir de 1h antes do espetáculo.

As informações foram retiradas do release de divulgação de imprensa.

terça-feira, 9 de maio de 2017

"Alegria Alegria"

"Alegria Alegria"
Roteiro e Direção: Moacyr Góes
Alegria Alegria é um espetáculo para comemorar os 50 anos da Tropicália, que foi um movimento de grande importância para a cultura contemporânea brasileira e estreia 13 de maio no Teatro Santander. O musical terá as canções de Caetano Veloso como eixo da encenação, consideradas pelo diretor “a tradução mais fiel do movimento”. Mas também contará com composições de Gilberto Gil, Roberto Carlos, Luiz Gonzaga e Vicente Celestino, entre outros.
Para contar a história do tropicalismo, no entanto, o diretor optou por criar um espetáculo musical não convencional: “...Eu procurei estruturar um roteiro que tivesse uma lógica, que contasse uma história, mas não de uma maneira tradicional, que não fosse um musical histórico, didático. Eu não quero explicar para as pessoas o que foi o tropicalismo, eu quero que as pessoas passem por uma experiência com as músicas e com as cenas, que produza sentimentos, reflexões, emoções, etc. É um espetáculo para você sorver.”
A protagonista, uma narradora que será a condutora do espetáculo, será interpretada pela cantora e compositora Zélia Duncan. “Para mim isso será um desafio enorme – explica Zélia – Quando eu li o roteiro do Moacyr, fiquei muito comovida com tudo que vamos falar, da maneira como vamos falar, de ver que não é um musical com todas as fórmulas que todos já conhecem, pois é brasileiro e está nascendo em nossas mãos, sem cartilha prévia. 
Falando de um momento histórico brasileiro, de pessoas que se arriscaram de uma maneira extremamente corajosa e nisso eu acho que o Caetano tem um papel absoluto, porque ele até hoje faz isso com imensa disposição. É essa coragem que ele tem, esse talento que sempre traz frescor, isso tudo misturado. Então, é uma delícia fazer parte, se sentindo no olho desse furacão.”
Elenco: Zélia Duncan, Josi Lopes, Laura Carolinah, Luana Zenun, Nay Fernandes, Pamella Machado, Stephanie Serrat, Talitha Pereira, Bruno Fraga, Daniel Caldini, João Felipe, Luiz Araujo, Marcos Lanza, Patrick Amstalden, Cadu Batanero e Ingrid Gaigher.
Informações retiradas do release de divulgação para imprensa.
 Teatro Santander
Quintas e Sextas, às 21h. Sábados, às 18h e 21h. Domingos, às 20h.

quinta-feira, 13 de abril de 2017

60! Década de Arromba - Doc. Musical

60! Década de Arromba
Doc. Musical
Este musical foi a melhor aula de história que eu tive o prazer de assistir. Década de Arromba é um espetáculo que mescla fatos históricos e canções da década de 60, homenageando uma das maiores musas da música brasileira: A Ternurinha. Wanderléa continua linda, simpática e cheia de energia. Recomendo demais. Tudo perfeito e encantador.
Representante maior da Jovem Guarda, um dos principais movimentos musicais da década de 1960, a cantora Wanderléa é a “cereja do bolo” de 60! Década de Arromba – Doc. Musical, dirigido por Frederico Reder, com roteiro e pesquisa de Marcos Nauer. A cantora participa pela primeira vez de um musical, interpretando ela mesma. O espetáculo utiliza ferramentas de documentário (fotos, vídeos e depoimentos reais), somadas a cenas, textos e canções apresentadas ao vivo por 24 atores/cantores/bailarinos para contar a história da década de 1960.
Fruto de uma extensa pesquisa feita por Frederico Reder e Marcos Nauer, 60! Década de Arromba – Doc. Musical começa com um prólogo, em 1922, contando a chegada do Rádio no Brasil, para em seguida mostrar o início da Televisão e aí sim, sua popularização na década de 1960.  A partir desse ponto, a peça narra os principais acontecimentos, apresentando mais de cem canções dos mais diversos gêneros. De Roberto e Erasmo, passando por Dalva de Oliveira, Cauby Peixoto, Elvis Presley, Beatles, Tony e Celly Campello, Bibi Ferreira, Edith Piaf, Tom e Vinicius, Milton Nascimento, Gil e Caetano, Maysa, Geraldo Vandré e tantos outros nomes importantes na música.
Se hoje em dia a discussão em torno do empoderamento feminino está em alta, já em 1960 mulheres marcaram época com frases que deram o que falar. “Ninguém nasce mulher, torna-se mulher”, afirmava a escritora francesa Simone de Beauvoir. Marilyn Monroe fazia sucesso e bradava “mulheres comportadas raramente fazem história”.  Aqui no Brasil, mulheres como Leila Diniz também não ficavam atrás com atitudes e frases que marcaram história, como: “Na minha cama deita quem eu quiser”.  
Ícone pop da década de 1960, Wanderléa sempre foi considerada um símbolo de vanguarda. Primeira mulher a posar nua grávida para uma foto e pioneira no uso das minissaias e do silicone, contribuiu para os direitos e a liberdade das mulheres de sua geração.
“Fiquei muito emocionada em receber esta homenagem justamente quando a Jovem Guarda completa 50 anos. Nunca havia imaginado integrar um grande musical”, diz Wanderléa.
Produzido pela Brain+ em parceria com a Reder Entretenimento e a Estamos Aqui, “60! Década de Arromba” é uma superprodução com 20 cenários, 10 toneladas de material cênico e mais de 300 figurinos. Além dos 24 atores, conta também com uma orquestra de 10 músicos.
Informações retiradas: Ingresso Rápido.
Wanderléa.
Espetáculo arrebatador que encantou todo o público presente.

Teatro Net SP.