♥ Seguidores♥

sexta-feira, 25 de maio de 2018

Chaplin - O Musical.

Chaplin 
 O Musical.
Quem é fã dos filmes do Chaplin vai adorar este espetáculo. É emocionante e muito divertido. A história é muito rica em detalhes e as caracterizações estão perfeitas. O elenco é grandioso e Jarbas Homem de Mello conseguiu se superar ao interpretar tão bem um dos maiores artistas cinematográficos. O musical esta imperdível e se eu tiver a possibilidade, irei novamente.
Sinopse: O espetáculo é baseado na história real de Sir Charles Spencer Chaplin ou simplesmente Charlie Chaplin, um dos maiores artistas cinematográficos de todos os tempos.
 A peça percorre sua carreira desde a primeira performance, quando ainda era uma criança pobre em plena Londres do século XIX, à consagração e fama mundial como ator, diretor, produtor, comediante e humorista.
 A atmosfera de “Chaplin, o musical” leva a uma verdadeira viagem no tempo à era do cinema mudo de Hollywood. Cenas antológicas de filmes estrelados por Chaplin ganham destaque na produção e são enriquecidas pelas projeções que ocupam grandes telas por todo o palco. Na lista estão os lendários: “The Kid”, “The Circus”, “Tempos Modernos” e “O Grande Ditador”.
Durante o musical, além de relembrar seus filmes e personagens - como Carlitos, o vagabundo, o mais célebre deles - o público conhece mais sobre suas escolhas políticas, sua agitada vida amorosa e as pessoas que marcaram sua trajetória, como a mãe Hannah (Naíma); o irmão mais velho Sydney , a quarta esposa Oona O´Neill (Myra Ruiz), a colunista e crítica ferrenha Hedda Hooper (Paula Capovilla), o primeiro empresário Fred Karno (Julio Mancini) e Mack Sennett (Paulo Goulart Filho), fundador dos estúdios Keystone.
 Com trilha sonora original de Christopher Curtis, incluindo as canções “Olhe para todas as pessoas”, “Just Another Day in Hollywood” e “This man”; “Chaplin, o musical” é produzido por Claudia Raia e Sandro Chaim. A versão brasileira é assinada por Miguel Falabella.
Informações retiradas:Ingresso Rapido.
Elenco: Jarbas Homem de Mello, Juan Alba, Paula Capovilla, Naíma, Paulo Goulart Filho, Myra Ruiz, Julio Assad, Lorenzo Tarantelli, Renatinho, Amélia Gumes, Claudia Rosa, Jofrancis, Luana Zenun, Luiza Arruda, Mariana Tozzo, Talitha Pereira, Arthur Berges, Beto Macedo, Felíppe Moraes, Fhilipe Gislon, Gustavo Ceccarelli, Marcos Lanza, Maurício Alves.
“Vem ver Charlie Chaplin, no cinema a brilhar...” 
 Theatro Net.

quinta-feira, 24 de maio de 2018

All You Needis Love - Beatles.

All You Needis Love.
 Beatles.
O maior espetáculo Beatle do Mundo.
Somos BEATLEMANIACOS e fomos na última apresentação de All You Need Is Love no Theatro Net. Foi um super show cover de Beatles repleto de sucessos e muita irreverência no palco. . .
AYNIL, formada por Sandro Peretto (John Lennon), Felipe Malagutti (Paul McCartney), Henrique Cesarino (George Harrison), Fabio Carrara (Ringo Starr) e Mario Lucio Marques (George Martin, produtor musical considerado o quinto Beatle).
Apenas um grupo no Mundo foi convidado para tocar no lendário palco onde os Beatles fizeram fama, do Cavern Club, em comemoracão dos 50 anos de lançamento do primeiro álbum, “Please Please Me”. Sim, o All You Need Is Love se apresentou lá exatamente no sopro de 50 velinhas, foram convidados pelo diretor de operações do Cavern, Jon Keats que garante que os escolheu a dedo e reforça o quão rigorosos são em convidar bandas tributo aos Beatles para se apresentarem no local.  O registro foi o único permitido desde que Paul McCartney gravou lá, e também o único no mundo com comercialização permitida. 
Tudo num pacote com chancela love is all you need.
A única banda a tocar no Rock in Rio, a convite da embaixada da Inglaterra.
O seu primeiro DVD box triplo, em tão pouco tempo, já atingiu a vendagem superior a 70 mil cópias, o que lhes renderam o disco de Platina. Além disso, mais de 500 mil pessoas já assistiram ao espetáculo em todo o Brasil e Exterior.
Informações retiradas: Theatro Net.
Antes do show começar!!!!
Theatro Net.

segunda-feira, 21 de maio de 2018

Virada Cultural 2018

Virada Cultural (Todas As Vozes).
No dia 19 e 20 de maio aconteceu a Virada cultural, que é a celebração da diversidade e da ocupação dos espaços públicos por meio da arte.
A Virada Cultural é um dos maiores eventos do calendário cultural da da cidade de São Paulo e tivemos a sorte de poder participar. No sábado assistirmos a ópera La Traviata no Theatro Municipal e no domingo foi o dia de dançar ao som do É o Tchan e do Balão Mágico.
La Traviata.
o Theatro Municipal de São Paulo participou da Virada Cultural com La Traviata, de Giuseppe Verdi. 

Ópera com direção musical de Roberto Minczuk, concepção e direção cênica de Jorge Takla.

Na obra, a cortesã Violetta Valéry e o nobre Alfredo Germont se apaixonam em uma festa, mas se veem aprisionados aos preconceitos e às tradições de uma sociedade conservadora e são obrigados a tomar decisões que alteram suas vidas de forma irreparável. No papel de Violetta, estão as sopranos Nadine Koutcher e Jaquelina Livieri, e como Alfredo, os tenores Fernando Portari e Georgy Vasiliev ... .

✔No filme Uma Linda Mulher, o casal Edward e Vivian (Richard Gere e Julia Robert), assistem a ópera La Traviata 

É O Tchan e Sheila Mello - A volta da loira.
A turma do Balão Mágico voltou e encantou todo mundo na Virada Cultural.Eu fui e foi SUPERFANTASTICO 🎈🎈🎉

sexta-feira, 18 de maio de 2018

Mercedez com Z.

Mercedez com Z.
Sexta foi o dia de ir no teatro com as amigas assistir a divertida comédia "Mercedez com Z", no teatro Gazeta.
Mercedez com Z conta a história de uma dona de casa suburbana, Mercedez, que abre seu coração para um locutor de rádio das madrugadas. Se revezando em vários personagens, Adriana Nunes e Similião Aurélio permitem, então, que o espectador entre em contato com um universo feminino terno e verdadeiro onde transitam, com naturalidade e humor, temas como sexo, trabalho, vaidade, educação, família, direitos, comportamento etc.
O espetáculo se propõe a retratar, através de uma história de vida, os percalços que as mulheres têm enfrentado rumo ao empoderamento feminino. A comédia traz à luz o cotidiano com o qual tantas mulheres se identificam, e nele o exercício em busca de seus direitos e deveres, num caminho inevitável e transformador, porém ainda tortuoso, para uma sociedade que enxergue homens e mulheres de forma harmônica.
Mercedez com Z é, acima de tudo, um espetáculo que trata de esperança, felicidade e amor com muito humor. Divirta-se!
Informações retiradas:Teatro Gazeta.
Elenco: Adriana Nunes e Similião Aurélio.
Teatro Gazeta.

quinta-feira, 17 de maio de 2018

O Leão No Inverno.


O Leão No Inverno.
Texto: James Goldman.
Dia 15 (terça-feira), foi o ensaio aberto da peça "O Leão No Inverno", que estreia no dia 18 de maio. O espetáculo tem uma ótima história que retrata sobretudo complôs, traições, conchavos, manipulação e a busca incessante pelo poder. Os personagens são complexos e os diálogos são fortes e intensos. Em "Leão no Inverno", a realeza usa de todos os meios para alcançar seus objetivos. 
Na meia-idade, mas ainda forte e poderoso, o Rei Henrique II mantém sua esposa, a lendária rainha Eleanor, de Aquitânia, confinada em uma torre, por alta traição. Nas festas de fim de ano, ele a solta e a convida para se juntar à família. Eleanor aproveita a oportunidade e começa a conspirar, pois quer influir na sucessão de Henrique.
Ela luta para que seu filho mais velho, Ricardo, o futuro “Coração de Leão”, seja o próximo rei. Henrique, por outro lado, prefere o filho caçula, que ficará, mais tarde, conhecido como João “Sem-Terra”.
Nem Henrique, nem Eleanor, se importam muito com o filho do meio, Geoffrey, que ora se alia a um irmão, ora a outro. Geoffrey está apenas interessado em obter as maiores vantagens, qualquer que seja o escolhido para ocupar o trono.
Elenco: Leopoldo Pacheco, Regina Duarte,Caio Paduan, Filipe Bragança,
Camila dos Anjos, Michel Waisman, Sidney Santiago Kuanza .
Teatro Porto Seguro.
Gênero: Drama 
Duração: 100 minutos
Classificação Etária: 12 anos 
Sextas e sábados, às 21h
Domingos, às 19h

quarta-feira, 16 de maio de 2018

“Antes Que Eu Me Esqueça”

“Antes Que Eu Me Esqueça”
Estreia 24 de maio nos cinemas🎬🔝
Ontem foi a cabine e coletiva do filme “Antes Que Eu Me Esqueça”, de Tiago Arakilian. O filme é estrelado por Danton Mello e José de Abreu e conta com Guta Stresser, Mariana Lima, Leticia Isnard, Augusto Madeira, Dedé Santana e grande elenco.
O filme é uma comédia dramática que aborda temas familiares, relacionamentos e reencontros.
Antes que eu me esqueça, conta a história de Polidoro, juiz aposentado que, ao perceber os sinais de Alzheimer, toma uma decisão inesperada: investe seu dinheiro em uma casa de strip-tease. Na busca de seus próprios desejos e em meio a questões delicadas da terceira idade, Polidoro tem que enfrentar a reprovação da família, em especial a da filha, que pensa em interditá-lo. Com os conflitos familiares, acaba tendo que se reaproximar do filho Paulo, que é um musico frustrado e com quem não tem contato há anos.
Na coletiva estavam presentes os atores Danton Mello, José de Abreu, Guta Stresser e Augusto Madeira, do diretor Tiago Arakilian, da roteirista Luisa Parnes e do produtor Carlos Saldanha. Fraiha Produções, Titânio Produções e Boipeba Filmes assinam a produção do longa, em coprodução com Globo Filmes, Rio Filme e FOX International Productions, que também é responsável pela distribuição junto a Imagem Filmes. A estreia está marcada para o dia 24 de maio.
- Antes que eu me esqueça é uma "dramédia" irreverente. É um filme sobre reencontro da família, sobre a resolução dos conflitos amorosos. A aproximação obrigatória, imposta a pai e filho, pelo condutor principal da trama. Situado entre o drama e o humor, o filme propõe ao público uma imersão no tema da terceira idade, tao necessária em nossos dias.
- O filme tem o papel de nos fazer pensar no assunto e rever nossas relações familiares. 
- O filme trata desse equilíbro familiar em relação a terceira idade e suas dificuldades. 
Tiago Arakilian (diretor). 
- Antes que eu me Esqueça temos uma história muito bonita de família, de envelhecer, com assuntos que valem a pena ser discutidos.
- Eu fiquei muito tocado com o roteiro porque eu sou um cara que valoriza muito a família. Acho que a coisa mais importante que temos na vida! 
- Tive aula com a pianista Fernanda Canaud e achei uma experiência incrível. Foi ótimo esse contato com o piano. Gostaria até de ter tido mais tempo, mas aprendi o suficiente para poder fingir (risos), ficar à vontade, e tudo parecer verossímil. Não cheguei a fazer uma cena completa, mas consegui fazer o início de uma música em uma delas. Achei o máximo.
- A química com o Zé (De Abreu), foi muito natural porque ela já existia, nos conhecemos há muitos anos e sou muito fã dele. Claro que construímos as nuances dos personagens, mas a admiração sempre esteve lá. E isso ficou nítido na tela.
- O filme é para todo mundo! para jovens, homens, mulheres, senhores. Acho que é um filme que fala da família. Eu bato muito nessa tecla, mas é que eu valorizo e o que me encanta no roteiro. Fizemos ele com muito amor e dedicação e espero realmente que ele transforme algumas pessoas. Que passe uma mensagem, e que toque muita gente no fundo do coração. Inclusive pais e filhos.
Danton Mello
É difícil definir Polidoro, mas em linhas gerais... imagina um juiz de direito, que teve uma esposa só. E, pelo fato de ser juiz e de julgar as pessoas, ele colocou na cabeça que tinha que ser o mais próximo da perfeição possível! É extremamente carente e reto. Fica viúvo, e acho que também que nunca teve uma outra mulher na vida. Sua sexualidade é totalmente reprimida. E ele só percebe isso quando perde a mulher e quando descobre o Alzheimer.
Por isso, resolve correr contar ao tempo. Vende os imóveis, vê filmes de sacanagem (tendo o cuidado de sempre tampar o retrato da esposa falecida, que fica na sala). E aproveita a velhice (e todos esses motivos) para romper com o seu passado careta, dando um passo completamente louco! Ele vê a boate de strip-tease de seu bairro e decide comprá-la. E essa mesma boate mostra aos filhos, principalmente à filha, que ele não esta "bem". 
Jose de Abreu
-Antes que eu me Esqueça já tem uma importância inicial, que é trazer a questão do empoderamento da terceira idade. É difícil envelhecer sim, e é necessário ter um cuidado e esse espaço para eles. Também não e comum ter um filme com um protagonista mais velho. O nosso mundo está voltado para o jovem.
-De qualquer forma, ele é muito amplo par a o público e tem tudo para agradar gregos e troianos. Fala sobre a família, essa relacão perdida de pai e filha. Tem também o núcleo da boate, dos velhinhos da praça. Joga também um foco para o pessoal de Copacabana. 
-É uma história tocante e engraçada. 
-A história de Joelma e Polidoro é linda, vejo quase como um conto de fadas. É meio Cinderela, gata borralheira que de repente, vira uma princesa porque encontra um príncipe no caminho. E o Polidoro é o príncipe dela. Eles não tem um envolvimento de homem e mulher, mas existe um carinho muito grande entre eles, e ele se preocupa com ela e muda a vida de todos da boate.
Guta Stresser 
A relação de aproximação entre pai e filho conduz o filme, mas o universo da música clássica em contraponto com a incursão dos velhinhos de Copacabana ao mundo dos prazeres carnais trazem a leveza essencial para a condução da história. 
Augusto Madeira 
Sinopse: Aos 80 anos, Polidoro (José de Abreu) decide acabar com a estabilidade de sua confortável vida de juiz viúvo aposentado tornando-se sócio de uma boate de strip-tease. Diante de tal situação, sua filha Beatriz (Letícia Isnard) decide interditá-lo judicialmente. Em audiência, Paulo (Danton Mello) se declara incapaz de opinar sobre as decisões do pai porque não fala com ele há anos. O juiz determina que seja feita uma avaliação de Polidoro por Paulo, em encontros regulares entre pai e filho, forçando uma reaproximação que transformará suas vidas.
ELENCO: 
Danton Mello: Paulo
José de Abreu: Polidoro
Mariana Lima: Maria Pia 
Guta Stresser: Joelma 
Augusto Madeira: David 
Leticia Isnard: Bia 
Saulo Rodrigues: Bráulio 
Eucir de Souza: Alceu 
Dedé Santana: Gregório 
Kathia Calil: Kats 
Silvio Matos: Evandro 
Luiz Magnello: Milton 
Miguel Nader: Jorjão 
Anna Cotrim: Rosilene 
FICHA TÉCNICA: 
Direção: Tiago Arakilian 
Roteiro: Luísa Parnes 
Produtora: Silvia Fraiha 
Produção: Fraiha Produções, Titânio Produções e Boipeba Filmes 
Coprodução: Globo Filmes, Rio Filme, FOX International Productions 
Distribuição: Imagem Filmes e FOX International Productions 
Produção Executiva: Silvia Fraiha, Carlos Saldanha, Marco Anton 
Produtor Associado: José Alvarenga, Luisa Parnes e Maresa Pullman 
Diretor de Produção: James Patrick O’Malley 
Diretor de Fotografia: Léo Vasconcellos 
Diretor de Arte: Iolanda Teixeira 
Câmera: Daniel Bustamante 
Técnico de Som: Técnico de Som 
Edição de Som: Miriam Biderman 
Editor de Imagem: Quito Ribeiro 
Figurinista: Mariana Reginaldo 
Cenógrafo: Babi Targino 
Música e Trilha Musical: Caio Márcio Santos 
Supervisor Artístico: Carlos Saldanha 
Gênero: Ficção 
Duração: 95 minutos 
Assessoria de Impresa: Primeiro Plano. 
Informações retiradas do release para imprensa.