♥ Seguidores♥

segunda-feira, 22 de maio de 2017

Roque Santeiro - O Musical.

Roque Santeiro - O Musical.
Tudo começa quando Cabo Roque é dado como morto em batalha, sem nunca ter sido encontrado seu corpo. Com base nestes fatos, este suposto sacrifício por sua pátria faz nascer todo um comércio turístico na cidade de Asa Branca, que gira em torno do mito do herói. A população passa assim a viver em torno da memória de Roque. O turismo desenvolve-se em decorrência das inúmeras histórias sobre o herói, a cidade cresce cada vez mais com a venda de medalhinhas, bem como a realização de festas e eventos em homenagem ao soldado. Passados cerca de 20 anos, chega um homem à cidade, anunciando ser o Cabo Roque. Descobre-se então que o protagonista não morreu. A partir de então, dá-se início a várias tramas, resultando num final surpreendente.
Elenco: Jarbas Homem de Melo, Livia Camargo, Flavio Tolezani, Mel Lisboa, Luciana Carnieli, Edson Montenegro, Dagoberto Feliz, Nábia Villela, Yael Pecarovich, Giselle Lima, Marco França, Samuel de Assis, Cristiano Tomiossi. 
Texto: Dias Gomes. 
Direção: Débora Dubois. 
Direção musical: Zeca Baleiro.
Roque Santeiro - O Musical, foi o melhor presente que ganhamos da Virada Cultural 2017. Adoramos!
Teatro Faap.
As Informações sobre o musical foram retiradas da página do Teatro FAAP.

quinta-feira, 18 de maio de 2017

Lembro Todo Dia de Você.

Lembro Todo Dia De Você.
Thiago (Davi Tápias) é um jovem que se descobre soropositivo e inicia uma jornada de autoconhecimento em direção a questões decisivas de sua vida - como o abandono paterno, a descoberta da sexualidade, relacionamentos, amizades e o estigma enfrentado diariamente por pessoas com HIV.
Lembro Todo Dia de Você foi um projeto de pesquisa do Núcleo Experimental e tem treze canções originais com influências de vários gêneros, como pop, bolero, disco, jazz e música de jogos digitais. 
“Apesar dos avanços científicos que amparam a saúde de quem vive com HIV, os preconceitos, estereótipos e convenções que existem sobre o tema ainda criam um ambiente hostil para os portadores do vírus”, diz Zé Henrique.  Lembro Todo Dia de Você chega como uma reflexão sobre o efeito dessas questões na afetividade e emoções desse grupo e seus círculos sociais.
Zé Henrique de Paula diz que, para esse espetáculo, foram feitas pesquisas de campo com jovens portadores de HIV e instituições de amparo a esse grupo. Também foi decisiva para a criação da peça a participação de Rafa Miranda, compositor e regente que emprestou para a obra dados reais da sua vida e experiência como portador de  HIV.
“A falta de informação, a solidão, as inseguranças, as frustrações e o sentimento de culpa me deixavam submerso no medo. O Zé e a Fernanda me acolheram e me deram suporte, criando uma rede de segurança onde eu pudesse compartilhar meus sentimentos e sair do silencio”, diz Rafa. O jovem compositor diz que, ao ouvir os depoimentos de outras pessoas que vivem com HIV, os sentimentos relatados eram muito próximos dos seus, daí a necessidade de falar sobre as questões que atingem os soropositivos, assim como a dificuldade de dividi-las com outras pessoas.
Mesmo optando por essa abordagem, a diretora musical reforça que a peça não tem nenhuma pretensão didática ou panfletária. “A arte não dá respostas; ensina a fazer perguntas melhores, o que guia essa peça não são certezas, mas as dúvidas e questionamentos”, fala Fernanda. Sobre a escolha do gênero musical para falar sobre o assunto, Rafa Miranda complementa: “Há algo de poderoso na junção de música e texto que, só o texto ou só musica talvez não dessem conta de exprimir sozinhos”.
Ficha Técnica:
Texto/letras e direção musical: Fernanda Maia. Música: Rafa Miranda. Direção: Zé Henrique de Paula. Colaboradores: Herbert Bianchi e Zé Henrique de Paula. Elenco (que interpretam doze personagens)Anna Toledo, Bruna Guerin, Davi Tápias, Fábio Augusto Barreto, Fabio Redkowicz, Gabriel Malo e Zé Henrique de Paula. Músicos: Fernanda Maia (piano), Abner Paul (bateria), Benjamin Bernardes (violino), Branco Bernardes (viola), Clara Bastos (contrabaixo elétrico) e Felipe Parisi  (violoncelo).
Serviço:
Lembro Todo Dia de VocêEstreia dia 18 de maio, quinta-feira, às 20h, no CCBB São Paulo Temporada: Sextas, sábados e segundas, às 20h, e domingos, às 19h. Até 26 de junho. Ingressos: R$ 20 (inteira) e R$ 10 (meia). Capacidade: 140 lugares.  Classificação Indicativa: 16 anos. Duração: 100 minutos.

*O espetáculo fará sessão gratuita no dia 20 de maio, sábado, às 20h, como parte da programação da Virada Cultural de São Paulo. Retirada de senha a partir de 1h antes do espetáculo.

As informações foram retiradas do release de divulgação de imprensa.

terça-feira, 16 de maio de 2017

APCA - 60ª Festa De Premiação Aos Melhores Das Artes Com Foco Na Diversidade.

APCA - 60ª Festa De Premiação Aos Melhores Das Artes
Com Foco Na Diversidade
A Associação Paulista de Críticos de Artes - APCA realizou seu tradicional evento de premiação dos melhores nas Artes de 2016, em 12 categorias: Arquitetura, Artes Visuais, Cinema, Dança, Literatura, Moda, Música Erudita, Música Popular, Rádio, Teatro, Teatro Infantil e Televisão. 
A cerimônia aconteceu no Theatro Municipal de São Paulo, com apresentações da cantora Céu e do grupo As Bahias e a Cozinha Mineira. 
Doze casais - formados por personalidades do mundo do espetáculo e das artes em geral, com perfis variados e que representa a riqueza étnica e cultural como Juçara Marçal e Thiago Mendonça, além do ator argentino Juan Manuel Tellategui - performaram a entrega dos prêmios. Como mestres de cerimônia, o crítico de teatro e vice-presidente da APCA Miguel Arcanjo Prado e a crítica de televisão Edianez Parente.
Um dos destaques da cerimônia foi o lançamento do livro que comemora os 60 anos da APCA, ilustrado com textos de importantes críticos de cada área, histórico da instituição e mapeamento de todos os premiados desde 1956. 


Ao longo desses 60 anos, graças ao olhar apurado de seus membros, a APCA já revelou dezenas de artistas que contribuíram significativamente para a cultura brasileira, como os teatrólogos Augusto Boal e José Celso Martinez Corrêa, os atores Mateus Nachtergaele e Cleyde Yáconis, o maestro João Carlos Martins, e os músicos Chico Sciense e Maria Rita. Ícones já consagrados da cultura brasileira também foram homenageados: o poeta Carlos Drummond de Andrade, por exemplo, venceu na categoria Poesia do Prêmio em 1973, com a obra As Impurezas do Branco. Já a cantora Elis Regina acumulou sete troféus. 


Os premiados da 60ª edição foram escolhidos em assembleia dos críticos realizada no início de dezembro de 2016, no Sindicato dos Jornalistas do Estado de São Paulo. Mais abaixo, segue a lista completa dos vencedores.


PREMIADOS 2016

ARQUITETURA
Trajetória - Sergio Ferro
Urbanidade - Projeto Ruas Abertas – Avenida Paulista / Fernando Haddad
Obra de arquitetura - Escola Senai São Caetano do Sul / Claudia Nucci e Valério Pietraróia – NPC Grupo Arquitetura
Preservação de patrimônio moderno - Luciana Brito Galeria – antiga Residência Castor Delgado Perez / Luciana Brito (promotora); João Paulo Beugger, José Armênio de Brito Cruz, Marcos Aldrighi e Renata Semin – Piratininga Arquitetos (readequação arquitetônica); Klara Kaiser,Koiti Mori e André Paoliello (readequação paisagística)
Pesquisa - Atlas fotográfico da cidade de São Paulo e arredores / Tuca Vieira
Fronteiras da arquitetura - Cerimônia de Abertura dos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro / Fernando Meirelles, Daniela Thomas e Andrucha Waddington
Apropriação urbana - Ocupação Hotel Cambridge / Carmen Ferreira da Silva (líder comunitária); Pitchou Luambo (coordenador do Grupo de Refugiados e Imigrantes Sem Teto); Juliana Caffé, Yudi Rafael e Alex Flynn (curadores da Residência Artística Cambridge)
Votaram - Abilio Guerra, Fernando Serapião, Francesco Perrotta-Bosch, Gabriel Kogan, Guilherme Wisnik, Hugo Segawa, Luiz Recaman, Maria Isabel Villac, Mônica Junqueira de Camargo e Nadia Somekh

ARTES VISUAIS
GRANDE PREMIO DA CRITICA – Fernando Lemos
Exposição internacional – O Triunfo da Cor - CCBB
Exposição nacional – VOLPI Pequenos Formatos - MAM
Retrospectiva – No Lugar Mesmo: uma antologia de Ana Maria Tavares - Pinacoteca
Fotografia – Gal Oppido – Sentidos da Pele
Arte e Reflexão – O Instante Certo – Dorrit Harazin
Iniciativa cultural – Programa Metropolis – TV Cultura
Votaram – Ricardo Nicola, Dalva de Abrantes, José Henrique Fabre Rolim, Bob Sousa, João J. Spinelli, Rubens Fernandes Junior, Silvia Balady, Luiz Ernesto Kawall, Fabio Magalhães, Douglas Negrisolli, Jocob Klintowitz, Enock Sacramento, Emilia Okubo

CINEMA
Filme: “Aquarius”, de Kleber Mendonça Filho
Diretor: Gabriel Mascaro, por “Boi Neon”
Roteiro: Kleber Mendonça Filho, por “Aquarius”
Ator: Júlio Andrade, por “Sob Pressão”
Atriz: Andréia Horta, por “Elis”
Documentário: “Cinema Novo”, de Eryk Rocha
Fotografia: Diego García, por “Boi Neon”
Votaram: Inácio Araújo, Luiz Carlos Merten, Orlando Margarido, Rodrigo Baldin e Walter Cezar Addeo

LITERATURA
Grande Prêmio da Crítica: “A Ditadura Acabada -5”, de Elio Gaspari (Intrínseca)
Romance/Novela: “Como Se Estivéssemos em Palimpsesto de putas”, de Elvira Vigna (Companhia das Letras)
Ensaio/Teoria e/ou Crítica Literária/ Reportagem: “Trópicos Utópicos”, de Eduardo Giannetti da Fonseca (Companhia das Letras)
Infantil/Juvenil: “Quem tem medo de curupira?”, de Zeca Baleiro, ilustrações de Raul Aguiar (Companhia das Letras)
Poesia: “Rol”, de Armando Freitas Filho (Companhia das Letras)
Contos/Crônicas: “A(s) Mulher(es) que eu amo”, de Eros Grau (Globo Livros)
Tradução: “[um amor feliz]”, de Wislawa Szymborska, tradução de Regina Przybycien (Companhia das Letras)
Biografia/Autobiografia/Memória: “Rita Lee: Uma Biografia”, de Rita Lee (Globo Livros)
Votaram: Amilton Pinheiro, Gabriel Kwak, Sérgio Miguez e Ubiratan Brasil

MÚSICA ERUDITA
Espetáculo de ópera: DON QUICHOTTE de Massenet. (Theatro São Pedro, abril/2016, direção Jorge Takla)
Prêmio Especial pelo conjunto da obra: Maestro Roberto Duarte (pela revisão sistemática das obras de Carlos Gomes e de Tommaso Traetta)
Instrumentista: Emmanuele Baldini (Spalla da OSESP e Líder do Quarteto OSESP)
Regente de Orquestra: Valentina Pelleggi
Projeto Musical: Programa Preludio da TV Cultura
Cantor Lírico: Rodolfo Giugliani (Lo Schiavo, Theatro Municipal RJ outubro/2016; Il Tabarro, Teatro San Carlo de Nápoles, novembro/2016)
Votaram: Sergio Casoy, Fabio Siqueira, Tellé Cardim

MÚSICA POPULAR
GRANDE PREMIO DA CRITICA: Rita Lee (por sua carreira)
Artista do Ano: Céu
Melhor Álbum: “MM3”, Metá Metá
Produção e Direção Artística: Rica Amabis, Daniel “Ganjaman” Takara e Tejo Damasceno por “Sabotage”, Sabotage
Revelação: Mahmundi por “Mahmundi”
Projeto Especial: SIM São Paulo
Show: BaianaSystem
Homenagem: Fernando Faro (In Memorian)
Votaram: Alexandre Matias, Fabio Siqueira, José Norberto Flesch, Marcelo Costa, Sergio Casoy e Tellé Cardim

RÁDIO
Prêmio Especial do Juri: Bradesco Esportes FM, pela cobertura dos Jogos Olímpicos Rio 2016
Humorista – Emerson França – Band Bom Dia – Band FM
Apresentador (entretenimento): Serafim Costa Almeida – Banda de Todas as Bandas – Capital AM 1040
Produtor (entretenimento): Mariana Piza – Programa Maritaca – Rádio Vozes (www.radiovozes.com/maritaca)
Produtor jornalístico: Renan Sukevicius – Em Alta Frequência – BandNews FM
Repórter: Marcel Naves – Blitz Estadão – Estadão FM
Colunista: – Claudio Zaidan – Esporte Notícia e Esporte Notícia Internacional – Bandeirantes AM/FM
Votaram: Fausto Silva Neto, Marcelo Abud, Marco Antonio Ribeiro e Silvio di Nardo.

TEATRO
Grande Prêmio da Crítica: Maria Alice Vergueiro
Espetáculo: Sobre Ratos e Homens
Diretor: João Falcão (Gabriela, um Musical) e Kiko Marques (Sínthia)
Autor/Dramaturgia: Vinicius Calderoni (Os Arqueólogos)
Ator: Leonardo Fernandes (Cachorro Enterrado Vivo)
Atriz: Denise Weinberg (O Testamento de Maria)
Prêmio Especial: Lenise Pinheiro (pelo registro histórico da cena teatral paulista)
Votaram: Aguinaldo Cristofani Ribeiro da Cunha (votou somente o Prêmio Especial e o Grande Prêmio da Crítica), Carmelinda Guimarães, Edgar Olimpio de Souza, Evaristo Martins de Azevedo, Gabriela Mellão, José Cetra Filho, Kyra Piscitelli, Marcio Aquiles (votou somente o Prêmio Especial e o Grande Prêmio da Crítica), Maria Eugênia de Menezes, Michel Fernandes, Miguel Arcanjo Prado e Vinício Angelici

TEATRO INFANTIL
Grande Prêmio da Crítica – PEER GYNT, direção de Gabriel Villela
Melhor Espetáculo de Valorização da Cultura Popular - CAMINHO DA ROÇA (Grupo As Meninas do Conto)
Melhor Espetáculo de Bonecos - BERENICES (Grupo Morpheus Teatro)
Melhor Espetáculo de Inclusão e Acessibilidade - FEIO (Coletivo Grão de Arte e Cidadania)
Melhor Espetáculo Interativo - CHIQUITA BACANA NO REINO DAS BANANAS (Grupo Folias D’Arte)
Melhor Espetáculo de Texto Adaptado – HENRIQUES (Cia Vagalum Tum Tum)
Melhor Espetáculo sobre Diversidade Sexual e de Gênero no Universo Infanto Juvenil - A PRINCESA E A COSTUREIRA (grupo Teatro da Conspiração, de Santo André)

Votaram: Beatriz Rosenberg, Dib Carneiro Neto, Gabriela Romeu e Mônica Rodrigues da Costa

TELEVISÃO
Grande Prêmio da Crítica: Domingos Montagner, pelo conjunto da obra (In Memorian)
Novela: “Velho Chico” (Benedito Ruy Barbosa/TV Globo)
Atriz: Selma Egrei (Velho Chico/TV Globo)
Ator: Marco Ricca (Liberdade, Liberdade/TV Globo)
Diretor: José Luiz Villamarim (Justiça/TV Globo)
Série: Justiça (de Manuela Dias/TV Globo)
Infantil: “D.P.A - Detetives do Prédio Azul” (Gloob)
Cobertura Rio-2016: SporTV

Votaram: Bárbara Sacchitiello, Cristina Padiglione, Edianez Parente, Fabio Maksymczuk, Flávio Ricco, José Armando Vanucci, Leão Lobo, Neuber Fischer, Nilson Xavier e Paulo Gustavo Pereira.

DANÇA
Grande Prêmio da Crítica: Marilena Ansaldi
Espetáculo (estreia): Devolve 2 horas da minha vida Projeto Mov_oLA / Alex Santos
Espetáculo (não estreia): “Dança por Correio”
Coreografia / Criação: “Rubedo” – Cia de Dança Siameses / Maurício de Oliveira
Interpretação: Zélia Monteiro por Percursos Transitórios
Revelação: Grupo Fragmento Urbano
Espaço de Difusão: Centro de Referência da Dança da Cidade de São Paulo
Prêmio Técnico: Equipe Técnica do Teatro Alfa
Projeto / Programa: CCSP Semanas de Dança 2016 – Centro Cultural São Paulo
Memória: Ballet Stagium 45 anos
Votaram: Amanda Queirós, Ana Francisca Ponzio, Cássia Navas, Flávia Couto, Henrique Rochelle, Iara Biederman, Renata Xavier, Simone Alcântara e Yashara Manzini

MODA
Revelação em Moda: Lab-Emicida e Evandro Fióti
Coleção: À La Garçonne
Estilista do ano: Ronaldo Fraga
Fotógrafo: Gil Inove
Profissional da Beleza: Fabiana Gomes
Stylist: Pedro Sales
Prêmio Especial da Crítica: Alberto Hiar pela compra da Zoomp
Votaram: Pedro Diniz, Chantal Sordi, Silvia Rogar, Mario Mendes e Matheus Evangelista
 Theatro Municipal de São Paulo

As informações foram retiradas do release de divulgação de imprensa.

terça-feira, 9 de maio de 2017

"Alegria Alegria"

"Alegria Alegria"
Roteiro e Direção: Moacyr Góes
Alegria Alegria é um espetáculo para comemorar os 50 anos da Tropicália, que foi um movimento de grande importância para a cultura contemporânea brasileira e estreia 13 de maio no Teatro Santander. O musical terá as canções de Caetano Veloso como eixo da encenação, consideradas pelo diretor “a tradução mais fiel do movimento”. Mas também contará com composições de Gilberto Gil, Roberto Carlos, Luiz Gonzaga e Vicente Celestino, entre outros.
Para contar a história do tropicalismo, no entanto, o diretor optou por criar um espetáculo musical não convencional: “...Eu procurei estruturar um roteiro que tivesse uma lógica, que contasse uma história, mas não de uma maneira tradicional, que não fosse um musical histórico, didático. Eu não quero explicar para as pessoas o que foi o tropicalismo, eu quero que as pessoas passem por uma experiência com as músicas e com as cenas, que produza sentimentos, reflexões, emoções, etc. É um espetáculo para você sorver.”
A protagonista, uma narradora que será a condutora do espetáculo, será interpretada pela cantora e compositora Zélia Duncan. “Para mim isso será um desafio enorme – explica Zélia – Quando eu li o roteiro do Moacyr, fiquei muito comovida com tudo que vamos falar, da maneira como vamos falar, de ver que não é um musical com todas as fórmulas que todos já conhecem, pois é brasileiro e está nascendo em nossas mãos, sem cartilha prévia. 
Falando de um momento histórico brasileiro, de pessoas que se arriscaram de uma maneira extremamente corajosa e nisso eu acho que o Caetano tem um papel absoluto, porque ele até hoje faz isso com imensa disposição. É essa coragem que ele tem, esse talento que sempre traz frescor, isso tudo misturado. Então, é uma delícia fazer parte, se sentindo no olho desse furacão.”
Elenco: Zélia Duncan, Josi Lopes, Laura Carolinah, Luana Zenun, Nay Fernandes, Pamella Machado, Stephanie Serrat, Talitha Pereira, Bruno Fraga, Daniel Caldini, João Felipe, Luiz Araujo, Marcos Lanza, Patrick Amstalden, Cadu Batanero e Ingrid Gaigher.
Informações retiradas do release de divulgação para imprensa.
 Teatro Santander
Quintas e Sextas, às 21h. Sábados, às 18h e 21h. Domingos, às 20h.