♥ Seguidores♥

Mostrando postagens com marcador #estreia. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador #estreia. Mostrar todas as postagens

segunda-feira, 3 de abril de 2017

Processo De Conscerto Do Desejo.

Processo De Conscerto Do Desejo.
Matheus Nachtergaele.

Processo De Conscerto Do Desejo é um espetáculo 100% poético que é uma junção das palavras conserto e concerto - ConSCerto.
Nashtergaele explica: - Quero consertar o meu desejo com poesia, num concerto.
Esta montagem foi construída a partir de 30 poemas que a poetisa Maria Cecília Nachtergaele, falecida em 1968 aos 22 anos de idade, mãe do ator Matheus Nachtergaele deixou, e que o introduziu no mundo das artes.
O primeiro contato de Matheus com a obra da sua mãe foi aos 16 anos e recentemente resolveu levar os poemas ao teatro através de um monólogo.
Poucas palavras se confundem tanto em nossa língua quanto “concerto” e “conserto”. Aqui, elas se mesclam vertiginosamente. A palavra desejo, em filosofia, seria a tensão em direção a um fim de onde se espera satisfação. 
Tradicionalmente o desejo pressupõe carência, ou alguma forma de indigência: um ser que não carecesse de nada, não desejaria nada. Seria um ser perfeito, um Deus, Por isso a filosofia, tantas vezes, considera o desejo como característica primeira do ser imperfeito, do ser finito.
Quero consertar meu desejo com poesia, num concerto. Explico: minha mãe, a poeta maria Cecília Nachtergaele, faleceu quando eu era um bebe de três meses.
Dela, me restaram seus poemas, lindos e maduros escritos de uma jovem mulher moderna e triste, e essa veia que me marca a testa quando rio ou choro muito.

Em “Processo de Conscerto do Desejo”, acompanhado pelo jovem violonista Luã Belik e do violinista Henrique Rohrmann, direi finalmente os poemas que guardei nos olhos e na alma como única herança dela. O espetáculo é simples assim: Um homem (que por acaso, pois Maria Cecília amava os violões) o companha. É só isso, se isso for pouco.
Por Matheus Nachtergaele.
Informações retiradas do programa da peça.
Desejo: Maria Cecília Nachtergaele.
Conscerto: Matheus Nachtergaele.
Concerto: Luã belik (violão) e Henrique Rohrmann(violino).
Conserto: Miriam Juvino.
O ator relembra durante o espetáculo algumas das músicas de que Maria Cecília gostava, como a canção italiana “Io Che Amo Solo Te” (Sergio Endrigo).
Teatro Raul Cortez.
Temporada: 01/04/2017 a 30/04/2017
Sexta às 21h30 - Sábado às 21h e Domingo às 18h

sábado, 1 de abril de 2017

Pitanga.

PITANGA
ESTREIA NOS CINEMAS DIA 06 DE ABRIL.

Dirigido por Beto Brant e Camila Pitanga, o filme é um mergulho na história do cinema brasileiro e homenageia o ator Antônio Pitanga.
O Documentário foi escolhido pela crítica como o Melhor Filme Brasileiro na 40ª Mostra de Cinema de São Paulo e vencedor do Prêmio do Público do Festival de Tiradentes de 2017.
Filmando encontros e reencontros de Antônio Pitanga com amigos, amigas, família, cineastas, músicos e outros companheiros de vida e profissão, Beto Brant e Camila Pitanga fazem o trajeto de retorno ao tempo e revisitam a obra do ator investigando o seu percurso estético, político e existencial. Destaque no momento de maior inquietação artística do cinema brasileiro, o Cinema Novo, através de suas interpretações históricas, Antônio Pitanga construiu uma narrativa mitológica própria.
Pitanga contribuiu com o vigor de sua interpretação em mais de 60 filmes. Sua atuação sempre foi física: ele é um ator de expressão corporal particular, espontânea, urgente, cujas performances manifestam a necessidade de intervir na realidade de um mundo efervescente. No exato momento histórico em que o homem se recolocava no mundo de forma mais atuante, politicamente contestador e participativo, Antônio Pitanga realizou filmes com diretores emblemáticos e definitivos para a história do cinema brasileiro, como Glauber Rocha, Cacá Diegues, Walter Lima Jr e tantos outros.
PITANGA homenageia o homem e o ator. Destaca a importância de seu testemunho para a arte brasileira e conta a história de 75 anos de vida dedicados ao conhecimento e à construção de um homem em diálogo profundo com seu tempo.
Renato Ciasca e Beto Brant assinam a produção do documentário, que foi realizado pela Drama Filmes, Gangazumba Produções e Paraguassu Produções, com coprodução da Globo Filmes, GloboNews e Dot. No roteiro, Beto Brant, Camila Pitanga, José Carlos Avellar, Juliana
Munhoz, Marçal Aquino e Xarlô, que também assina a Direção de Arte. A fotografia é de Leleco Maestrelli, a música original é de Ilú Obá De Min e a trilha sonora, do Instituto e do Grupo Cangarussu. A distribuição é da Elo Company.
Elenco (em ordem de entrada): Daiane Sales dos Santos, Clarimundo José dos Santos, Andreia dos Santos, Adriano dos Santos Lustosa, Cía dos Prazeres e Cia Mistérios e Novidades, Monica Millet, Selina Cristina de Souza, Clarindo Silva, Roque Araújo, Álvaro Queiroz, Luiz Carlos Maciel, Caetano Veloso, Maria Bethânia, Maria Creuza, José Carlos Capinan, Léa Garcia, Cacá Diegues, Sérgio Ricardo, Othon Bastos, Itala Nandi, Zé Celso Martinez Corrêa, Selma Egrei, Gésio Amadeo, Zezé Motta, Neville d'Almeida, Elisa Lucinda, Silvio Guindane, Tamara Taxman, Ziraldo, Angela Leal, Ruth de Souza, Haroldo Costa, Joel Zito Araújo, Hugo Carvana, Tônico Pereira, Chico Buarque, Paulinho da Viola, Luiz Carlos Barreto, Claudio Adão, Jorge Coutinho, Milton Gonçalves, Walter Lima Jr., Antônio Molina, Nilcea da Silva, Benedita da Silva, Martinho da Vila, Gilberto Gil, Lázaro Ramos, Rocco Pitanga, BrunaPitanga, Amanda Pitanga, Antonia Pitanga.
O Documentário investiga o percurso estético, político e existencial do ator Antonio Pitanga que, dirigido por grandes cineastas como Glauber Rocha, Cacá Diegues e Walter Lima Jr., protagonizou os momentos de maior inquietação artística do cinema brasileiro.
Direção: Beto Brant e Camila Pitanga.
Informações retiradas do reelese de divulgação de imprensa.
PITANGA
Brasil, 2016, 113 min.

sexta-feira, 31 de março de 2017

Pão Com Ovo.

Pão com Ovo.
A Santa Ignorância Cia de Artes estreia em São Paulo a comédia Pão com Ovo no Teatro Itália no dia 07 de abril.
Foto: Divulgação.
A comédia retrata de forma bem humorada situações dos costumes e hábitos das diferentes classes sociais, contando a história das personagens, Dijé (Adeílson Santos), moradora de bairro da periferia, o seu marido Zé Maria (Charles Jr.) e Clarisse, (César Boaes) uma emergente alpinista social.
Foto: Divulgação.
Amigas de escola que se reencontram anos depois e falam de coisas engraçadas do cotidiano das suas vidas, retratando de forma bem humorada o atendimento nas empresas públicas e privadas e os hábitos e costumes de determinadas classes sociais.
Foto: Divulgação.
Os três atores se revezam em vários personagens em uma estrutura simples para facilitar a montagem e o acesso da peça a qualquer espaço cênico, sem no entanto, perder a qualidade com as composições dos personagens. Uma linguagem direta e simples, mas sem apelações fáceis e sem linguagem chula. As falas e diálogos surgidos nos ensaios e de improviso, estão somente memorizadas pelos atores em um texto escrito.  
Foto: Divulgação.
A peça é adaptada para cada cidade onde é apresentada com uma rápida pesquisa, sobre bairros, nomes de famílias tradicionais, linguajar e costumes.
Foto: Divulgação.
O espetáculo Pão com Ovo é um texto de Adenílson Santos e César Boaes que também assina a direção.
Foto: Divulgação.
Curiosidades: A peça Pão com Ovo foi encenada a partir da dramaturgia do ator e da mímesis corpórea. A pesquisa feita pelos atores da companhia foi realizada por dois anos em um estudo de observação do corpo das mulheres brasileiras moradoras de áreas nobres e de periferia, além de um estudo de dança de ritmos populares como o brega, funk, o tecnobrega e o forró em casas de festas populares de bairros populares.  

FICHA TÉCNICA:
Autor: Adenílson Santos e César Boaes
Direção: César Boaes
Elenco: Adenílson Santos, César Boaes e Charles Jr.
Figurinos:  criação coletiva
Cenografia: César Boaes
Desenho de luz: Djair Barros
Produção local: Dan Rosseto e Fabio Camara
Assistente de produção: João Jullo
Operador de luz: Bob Lima
Operador de som: Iasmine Lima
Designer gráfico: Hudson Santos
Fotos: Ayrton Vale e Rafaela Gonçalves
Assessoria de imprensa: Fabio Camara
Realização: Santa Ignorância Cia. de Artes

SERVIÇO: 
LOCAL: Teatro Itália, (Av. Ipiranga 344 – República). 290 lugares.
DATA: 07/04 até 28/05 (Sexta 21h30, Sábado 21h e Domingo 19h) 
INFORMAÇÕES: 3255-1979
VENDAS PELA INTERNET: www.compreingressos.com
VENDA POR TELEFONE: 11 2122.2474 
INGRESSOS: R$ 50,00 (Sexta) R$ 60,00 (Sábado e Domingo).
DURAÇÃO: 90 min 
CLASSIFICAÇÃO: 12 anos 

Obs.: Informações retiradas do release de divulgação de imprensa.

terça-feira, 31 de janeiro de 2017

Redemoinho

 Redemoinho.
Direção:José Luiz Villamarim
Hoje foi a coletiva de imprensa do filme Redemoinho, que estreia no dia 09 de fevereiro em todo o Brasil.📽🎬
Este filme foi baseado em um livro escrito por Luiz Ruffato pela editora Companhia das Letras chamado "Inferno Provisório" e conta sobre o re-encontro de dois amigos de infância na véspera de natal.
Após vários anos sem aparecer em sua cidade natal, Gildo (Júlio Andrade) resolve visitar sua mãe Marta (Cássia Kis), e seu amigo Luzimar (Irandhir Santos) aparece em sua casa.
Dirigindo pelas ruas da cidade de Cataguases, Minas Gerais, os dois amigos relembram a sua infância, bebendo muito e conversando sobre o rumo que tomou suas vidas.
Luzimar havia se casado com Toninha (Dira Paes) e se tornou o encarregado de uma fábrica de tecidos e Gildo dizia ter conseguido muita sorte em se mudar para São Paulo, onde residia com sua família.
Porém, o peso do passado volta para atormentar suas vidas e de outros personagens.
"Sabe o que é passar o tempo todo pensando o que a tua vida podia ter sido?"
Elenco: Irandhir Santos, Júlio Andrade, Dira Paes, Cássia Kis,...
Filme imperdível com Dira Paes e Cássia Kis.
Filme: Redemoinho
Duração: 100 min 
Gênero: Drama
Estreia: 09/02/2017