♥ Seguidores♥

Mostrando postagens com marcador #cinema. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador #cinema. Mostrar todas as postagens

segunda-feira, 18 de setembro de 2017

“DIVÓRCIO”

“DIVÓRCIO”
Até Que O Amor Exploda.
Longa de Pedro Amorim, com Camila Morgado e Murilo Benício
estreia dia 21 de setembro.
Hoje foi a coletiva de imprensa do filme Divórcio, com a presença do diretor Pedro Amorim, do produtor LG Tubaldini Jr., do roteirista Paulo Cursino e dos atores Camila Morgado e Murilo Benício. 
O filme mostra o que causa o desgaste no relacionamento entre duas pessoas que se amam, mas que tem algumas diferenças de personalidade marcantes, além das interferências externas no cotidiano do casal.
Divórcio é um ótimo filme de comédia do cinema brasileiro, a história é super divertida e dei muitas risadas. Impossível não gostar dos personagens e do filme como um todo, Vale a pena assistir no cinema sim
SINOPSE: Noeli (Camila Morgado) e Júlio (Murilo Benício) são um casal humilde que enriquece quando inventam o molho de tomate Juno, que se torna um sucesso nacional.  Com o passar dos anos, já donos de uma grande empresa e com muito dinheiro, os dois se distanciam. E um incidente na estrada é a gota d'água para a separação. Enquanto buscam o melhor advogado para defender o patrimônio, o ex-casal se envolve em um processo de divórcio cheio de confusões e momentos hilários.
ELENCO: Murilo Benício, Camila Morgado, Luciana Paes, Thelmo Fernandes, Carol Seviran, Flávia Martins, André Mattos, Ângela Dippe, Cynthia Falabella, Bruna Tornarelli, Antônio Petrin, Lu Grimaldi, Gustavo Vaz, Robson Nunes, Jonathan Weel,
Participação especial: Sabrina Sato, Paulinho Serra.
FICHA TÉCNICA:
Diretor: Pedro Amorim
Produtores: LG Tubaldini Jr e André Skaf
Diretor de fotografia: Hélcio Alemão Nagamine
Diretora de Arte: Valéria Costa
Produtora executiva: Camila Groch
Produtora de Elenco: Marcela Altberg
Figurinista: Lelê Barbieri
Roteirista: Paulo Cursino (com colaboração de Angélica Lopes)
Argumento de: LG Tubaldini Jr
Empresa produtora: Filmland Internacional
Coprodução e Distribuição:  Warner Bros. Pictures
ASSESSORIA DE IMPRENSA - Primeiro Plano
Informações retiradas do release de divulgação de imprensa.

domingo, 3 de setembro de 2017

Lino - Uma Aventura de Sete Vidas.

Lino -  Uma Aventura de Sete Vidas 🐱🐾.
Estreia 7 de setembro 🎬🔝 .


Ontem foi a pré estreia da animação nacional As Aventuras de Lino e contou com a presença de parte do elenco, direção e todos os envolvidos na elaboração e produção de Lino.

Eu assisti e garanto que o filme esta muito bom. Como disse Selton Mello, Lino não fica devendo nada para as animações dos grandes estúdios de fora do Brasil. Não percam a chance de ver nos cinemas, vale muito a pena. Diversão garantida para a criançada e para os adultos também.
Selton Mello e Dira Paes sao as vozes dos personagens Lino e  Janine.
Sinopse:
Lino e um animador de festas muito azarado que não aguenta mais seu emprego, pois precisa vestir todos os dias uma horrorosa fantasia de um gato gingante e aguentar sempre a mesma rotina de maus tratos das crianças. 
Cansado de tudo e tentando se livrar da falta de sorte que o persegue, Lino resolve buscar ajuda de Don Leon, um suposto  mago não muito talentoso, que o transforma justamente no que ele mais queria se livrar? sua própria fantasia!
Em sua jornada para reverter o feitico, Lino sera confundido com o maniaco da fantasia e passa a ser procurado pela policia, dando inicio a uma grande aventura.
Em cenas divertidas, dinâmicas e inesperadas, Lino descobrirá um novo amor pelo seu trabalho, pelas crianças e um novo sentido para sua vida.
O diretor Rafael Ribas.
 Com Lino no Cinépolis JK Iguatemi.

segunda-feira, 7 de agosto de 2017

Annabelle 2: A Criação do Mal

 Annabelle 2: A Criação do Mal
Estreia 17 de agosto
Que perfeito foi a pré estréia de Annabelle 2: A Criação do Mal. Obrigada  #Freakpop por nos presentear com o melhor filme de terror de 2017.
Sinopse - Anos após a trágica morte de sua filha, um criador de bonecas e sua esposa recebem em sua casa uma freira e várias meninas de um orfanato que foi fechado, e elas rapidamente se tornam alvo de Annabelle, a boneca possuída e uma das criações do anfitrião.
video
video
  Playarte Maraba.

terça-feira, 1 de agosto de 2017

Malasartes e o Duelo Com a Morte - Coletiva de Imprensa.

Malasartes e o Duelo Com a Morte
Um Filme de Paulo Morelli. 
Estreia 10 De Agosto.
Sinopse - Pedro Malasartes (Jesuíta Barbosa) vive de pequenas trapaças e está sempre se safando das situações, mesmo as criadas por ele. Mas terá que enfrentar dois grandes inimigos: Próspero (Milhem Cortaz), que fará de tudo para impedir que sua irmã Aurea (Isis Valverde) namore um sujeito como ele, e a própria Morte encarnada (Julio Andrade), que quer tirar férias e enganar Malasartes. Ele ainda terá que lidar com a bruxa Parca Cortadeira (Vera Holtz) e Esculápio (Leandro Hassum), assistente da Morte. Agora, com personagens deste e do outro mundo se unindo contra ele, Malasartes terá que usar de toda a sua esperteza para sair ileso dessa confusão. 
Malasartes e o Duelo Com a Morte, longa escrito e dirigido por Paulo Morelli,  conta a história do mais esperto dos homens, o personagem lendário do folclore iberoamericano Pedro Malasartes (Jesuíta Barbosa, em seu primeiro protagonista no cinema). Esse matuto que tem gosto por aventuras e vive de pequenas trapaças, vai se meter na maior de suas confusões ao ser escolhido pela Morte (Julio Andrade) para ser seu substituto. E tentará enganá-la com toda a sua astúcia para escapar ileso.
“Conheci o Malasartes há 30 anos quando fiz uma pesquisa sobre folclore brasileiro para um projeto. Eu me encantei pelo personagem, achei que era muito brasileiro e estava sendo esquecido. Malasartes é um cara muito esperto e ao mesmo tempo ingênuo, tem bom coração mas também tem um lado malandro. O que mais me motivou foi resgatar a cultura brasileira perdida. Trazer à tona essa figura folclórica do mundo rural que está desaparecendo na urbanidade”, conta Morelli. 
No elenco principal, também se destacam: Isis Valderde, como Aurea, a namorada de Malasartes; Vera Holtz, como a bruxa Parca Cortadeira; Leandro Hassum, como o fiel assistente da Morte; Augusto Madeira, como Zé Candinho, amigo de Malasartes; Milhem Cortaz, como o irmão de Aurea, com quem Pedro tem uma dívida enorme; Luciana Paes e Julia Ianina como as parcas Tecedeira e Fiandeira.
A trama se desenrola no interior do Brasil, terra de Malasartes, e no mundo mágico, reduto da Morte. Para criar esse universo fantástico, a produção contou com recursos sofisticados, e se tornou o longa com o maior número de efeitos especiais da história do cinema brasileiro, tendo mais de 50% das cenas geradas por computação. 
SOBRE OS EFEITOS ESPECIAIS - A trama de Malasartes e o Duelo com a Morte se passa em dois mundos:  o caipira, onde vive o protagonista Malasartes (Jesuíta Barbosa), e o mágico, lar da tão temida Morte (Julio Andrade). Ao criar esse universo imaginado pelo diretor Paulo Morelli, com personagens que voam, seres que se materializam e desmaterializam, velas que balançam, fios com vida própria, montanhas encantadas e muita magia, o filme se tornou a produção com o maior número de efeitos especiais da história do cinema brasileiro, tendo mais de 50% das cenas geradas por computação.
Elenco - Jesuíta Barbosa, Isis Valverde, Julio Andrade, Leandro Hassum, Milhem Cortaz, Vera Holtz, Luciana Paes, Julia Ianina, Augusto Madeira.
MALASARTES - JESUÍTA BARBOSA - Para compor o Malasartes eu entrei nesse universo caipira, revi os filmes do Mazzaropi que assistia com meu pai, li os contos na preparação. Também aproveitei muito do que tenho de sertanejo, eu sou matuto, mas do Nordeste. Eu sempre vou nesse lugar da criança, de falar e fazer o que quer. Tenho a impressão de que a gente perde o ser brincante quando vira adulto, a gente começa a tentar esquecer a criança, para parecer mais sério. E a ideia que tenho, não só neste como nos outros longas que tenho feito, é que quando a gente volta a ser criança tudo fica mais simples e mais interessante. 
A MORTE - JULIO ANDRADE - O filme vai na contramão do que tem sido feito, tem um lado lúdico interessante. A Morte por exemplo é um personagem perigoso, mas no filme está leve. Curti bastante, nunca tinha feito nada num estúdio cheio de chroma key, e atuando num penhasco que não existe, com velas que vão ser aplicadas depois em computação gráfica. A Morte é um personagem que no fundo tem vontade de estar vivo. Está entediado com o mundo que vive, não aguenta mais tirar vidas. Mas é um cara preocupado com o trabalho dele, não quer deixar qualquer um no cargo, então ele quer saber se o Malasartes é realmente esperto para ficar no lugar dele.” 
A AUREA - ISIS VALVERDE - “A Aurea não é uma mocinha comum, ela é cheia de molecagem. Sagaz, ela ajuda o Malasartes nos golpes, mas tem uma pureza muito grande. Ao mesmo tempo que em um momento ela é sensual, no outro é muito criança. Ela tem partes dramáticas e cômicas no filme e eu adoro essa mesclagem. Para compor a personagem fui buscar a criança que fui de volta, esse olhar mais ingênuo e ao mesmo tempo atento a tudo, pois quando a gente cresce perde essa curiosidade. A relação da Aurea e do Malasartes é o amor no sentido literal, sem nenhum tipo de interesse ou de sexualidade, achei muito bonito.”
O ZÉ CANDINHO - AUGUSTO MADEIRA -  “O filme é dividido entre o real e o fantástico, mas mesmo esse real já é meio fabuloso, foi muito bom trabalhar com esse universo. O Zé Candinho é um cara íntegro, um espírito puro que não vê muita maldade. Ele é engabelado pelo Malasartes, e não guarda mágoa disso pois para ele esse era o destino. Candinho é inspirado na obra Cândido, do Voltaire, que tem esse personagem que acredita no destino, no filme o Zé Candinho é um contraponto ao fatalismo da Morte e ao livre-arbítrio do Malasartes.”
A CORTADEIRA - VERA HOLTZ - Malasartes é uma personagem do meu imaginário infantil. Eu gosto dessa brincadeira do presencial, algo que não temos mais hoje. Com a internet, as pessoas ficaram cada vez mais escondidas atrás de suas máquinas, e o Malasartes é um homem de ação, faz acontecer, tem que estar presente para armar tudo e tenta se safar de tudo, até da Morte.”
O ESCULÁPIO - LEANDRO HASSUM -  “Esculápio é o leal assistente da Morte (Julio Andrade) , atura todas as suas loucuras. É como o assistente do Drácula, Igor, que ao mesmo tempo que apanha e sofre, é apaixonado pelo Mestre. Esculápio escuta a conversa pela metade e começa a achar que a Morte está procurando um assistente para o lugar dele, depois de dois mil anos de serviços prestados, e que seu concorrente é o Malasartes, e vai tentar impedir essa troca. Costumo fazer uma comédia mais histriônica nos meus filmes e trabalhos na TV e no ‘Malasartes’ o exercício é o da sutileza, falar baixinho, foi muito gostoso.”
Foto totalmente tiete que tirei com parte do elenco - Jesuita Barbosa, Julio Andrade, Augusto Madeira e Vera Holtz.

Informações retiradas do PRESSKIT.

terça-feira, 16 de maio de 2017

APCA - 60ª Festa De Premiação Aos Melhores Das Artes Com Foco Na Diversidade.

APCA - 60ª Festa De Premiação Aos Melhores Das Artes
Com Foco Na Diversidade
A Associação Paulista de Críticos de Artes - APCA realizou seu tradicional evento de premiação dos melhores nas Artes de 2016, em 12 categorias: Arquitetura, Artes Visuais, Cinema, Dança, Literatura, Moda, Música Erudita, Música Popular, Rádio, Teatro, Teatro Infantil e Televisão. 
A cerimônia aconteceu no Theatro Municipal de São Paulo, com apresentações da cantora Céu e do grupo As Bahias e a Cozinha Mineira. 
Doze casais - formados por personalidades do mundo do espetáculo e das artes em geral, com perfis variados e que representa a riqueza étnica e cultural como Juçara Marçal e Thiago Mendonça, além do ator argentino Juan Manuel Tellategui - performaram a entrega dos prêmios. Como mestres de cerimônia, o crítico de teatro e vice-presidente da APCA Miguel Arcanjo Prado e a crítica de televisão Edianez Parente.
Um dos destaques da cerimônia foi o lançamento do livro que comemora os 60 anos da APCA, ilustrado com textos de importantes críticos de cada área, histórico da instituição e mapeamento de todos os premiados desde 1956. 


Ao longo desses 60 anos, graças ao olhar apurado de seus membros, a APCA já revelou dezenas de artistas que contribuíram significativamente para a cultura brasileira, como os teatrólogos Augusto Boal e José Celso Martinez Corrêa, os atores Mateus Nachtergaele e Cleyde Yáconis, o maestro João Carlos Martins, e os músicos Chico Sciense e Maria Rita. Ícones já consagrados da cultura brasileira também foram homenageados: o poeta Carlos Drummond de Andrade, por exemplo, venceu na categoria Poesia do Prêmio em 1973, com a obra As Impurezas do Branco. Já a cantora Elis Regina acumulou sete troféus. 


Os premiados da 60ª edição foram escolhidos em assembleia dos críticos realizada no início de dezembro de 2016, no Sindicato dos Jornalistas do Estado de São Paulo. Mais abaixo, segue a lista completa dos vencedores.


PREMIADOS 2016

ARQUITETURA
Trajetória - Sergio Ferro
Urbanidade - Projeto Ruas Abertas – Avenida Paulista / Fernando Haddad
Obra de arquitetura - Escola Senai São Caetano do Sul / Claudia Nucci e Valério Pietraróia – NPC Grupo Arquitetura
Preservação de patrimônio moderno - Luciana Brito Galeria – antiga Residência Castor Delgado Perez / Luciana Brito (promotora); João Paulo Beugger, José Armênio de Brito Cruz, Marcos Aldrighi e Renata Semin – Piratininga Arquitetos (readequação arquitetônica); Klara Kaiser,Koiti Mori e André Paoliello (readequação paisagística)
Pesquisa - Atlas fotográfico da cidade de São Paulo e arredores / Tuca Vieira
Fronteiras da arquitetura - Cerimônia de Abertura dos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro / Fernando Meirelles, Daniela Thomas e Andrucha Waddington
Apropriação urbana - Ocupação Hotel Cambridge / Carmen Ferreira da Silva (líder comunitária); Pitchou Luambo (coordenador do Grupo de Refugiados e Imigrantes Sem Teto); Juliana Caffé, Yudi Rafael e Alex Flynn (curadores da Residência Artística Cambridge)
Votaram - Abilio Guerra, Fernando Serapião, Francesco Perrotta-Bosch, Gabriel Kogan, Guilherme Wisnik, Hugo Segawa, Luiz Recaman, Maria Isabel Villac, Mônica Junqueira de Camargo e Nadia Somekh

ARTES VISUAIS
GRANDE PREMIO DA CRITICA – Fernando Lemos
Exposição internacional – O Triunfo da Cor - CCBB
Exposição nacional – VOLPI Pequenos Formatos - MAM
Retrospectiva – No Lugar Mesmo: uma antologia de Ana Maria Tavares - Pinacoteca
Fotografia – Gal Oppido – Sentidos da Pele
Arte e Reflexão – O Instante Certo – Dorrit Harazin
Iniciativa cultural – Programa Metropolis – TV Cultura
Votaram – Ricardo Nicola, Dalva de Abrantes, José Henrique Fabre Rolim, Bob Sousa, João J. Spinelli, Rubens Fernandes Junior, Silvia Balady, Luiz Ernesto Kawall, Fabio Magalhães, Douglas Negrisolli, Jocob Klintowitz, Enock Sacramento, Emilia Okubo

CINEMA
Filme: “Aquarius”, de Kleber Mendonça Filho
Diretor: Gabriel Mascaro, por “Boi Neon”
Roteiro: Kleber Mendonça Filho, por “Aquarius”
Ator: Júlio Andrade, por “Sob Pressão”
Atriz: Andréia Horta, por “Elis”
Documentário: “Cinema Novo”, de Eryk Rocha
Fotografia: Diego García, por “Boi Neon”
Votaram: Inácio Araújo, Luiz Carlos Merten, Orlando Margarido, Rodrigo Baldin e Walter Cezar Addeo

LITERATURA
Grande Prêmio da Crítica: “A Ditadura Acabada -5”, de Elio Gaspari (Intrínseca)
Romance/Novela: “Como Se Estivéssemos em Palimpsesto de putas”, de Elvira Vigna (Companhia das Letras)
Ensaio/Teoria e/ou Crítica Literária/ Reportagem: “Trópicos Utópicos”, de Eduardo Giannetti da Fonseca (Companhia das Letras)
Infantil/Juvenil: “Quem tem medo de curupira?”, de Zeca Baleiro, ilustrações de Raul Aguiar (Companhia das Letras)
Poesia: “Rol”, de Armando Freitas Filho (Companhia das Letras)
Contos/Crônicas: “A(s) Mulher(es) que eu amo”, de Eros Grau (Globo Livros)
Tradução: “[um amor feliz]”, de Wislawa Szymborska, tradução de Regina Przybycien (Companhia das Letras)
Biografia/Autobiografia/Memória: “Rita Lee: Uma Biografia”, de Rita Lee (Globo Livros)
Votaram: Amilton Pinheiro, Gabriel Kwak, Sérgio Miguez e Ubiratan Brasil

MÚSICA ERUDITA
Espetáculo de ópera: DON QUICHOTTE de Massenet. (Theatro São Pedro, abril/2016, direção Jorge Takla)
Prêmio Especial pelo conjunto da obra: Maestro Roberto Duarte (pela revisão sistemática das obras de Carlos Gomes e de Tommaso Traetta)
Instrumentista: Emmanuele Baldini (Spalla da OSESP e Líder do Quarteto OSESP)
Regente de Orquestra: Valentina Pelleggi
Projeto Musical: Programa Preludio da TV Cultura
Cantor Lírico: Rodolfo Giugliani (Lo Schiavo, Theatro Municipal RJ outubro/2016; Il Tabarro, Teatro San Carlo de Nápoles, novembro/2016)
Votaram: Sergio Casoy, Fabio Siqueira, Tellé Cardim

MÚSICA POPULAR
GRANDE PREMIO DA CRITICA: Rita Lee (por sua carreira)
Artista do Ano: Céu
Melhor Álbum: “MM3”, Metá Metá
Produção e Direção Artística: Rica Amabis, Daniel “Ganjaman” Takara e Tejo Damasceno por “Sabotage”, Sabotage
Revelação: Mahmundi por “Mahmundi”
Projeto Especial: SIM São Paulo
Show: BaianaSystem
Homenagem: Fernando Faro (In Memorian)
Votaram: Alexandre Matias, Fabio Siqueira, José Norberto Flesch, Marcelo Costa, Sergio Casoy e Tellé Cardim

RÁDIO
Prêmio Especial do Juri: Bradesco Esportes FM, pela cobertura dos Jogos Olímpicos Rio 2016
Humorista – Emerson França – Band Bom Dia – Band FM
Apresentador (entretenimento): Serafim Costa Almeida – Banda de Todas as Bandas – Capital AM 1040
Produtor (entretenimento): Mariana Piza – Programa Maritaca – Rádio Vozes (www.radiovozes.com/maritaca)
Produtor jornalístico: Renan Sukevicius – Em Alta Frequência – BandNews FM
Repórter: Marcel Naves – Blitz Estadão – Estadão FM
Colunista: – Claudio Zaidan – Esporte Notícia e Esporte Notícia Internacional – Bandeirantes AM/FM
Votaram: Fausto Silva Neto, Marcelo Abud, Marco Antonio Ribeiro e Silvio di Nardo.

TEATRO
Grande Prêmio da Crítica: Maria Alice Vergueiro
Espetáculo: Sobre Ratos e Homens
Diretor: João Falcão (Gabriela, um Musical) e Kiko Marques (Sínthia)
Autor/Dramaturgia: Vinicius Calderoni (Os Arqueólogos)
Ator: Leonardo Fernandes (Cachorro Enterrado Vivo)
Atriz: Denise Weinberg (O Testamento de Maria)
Prêmio Especial: Lenise Pinheiro (pelo registro histórico da cena teatral paulista)
Votaram: Aguinaldo Cristofani Ribeiro da Cunha (votou somente o Prêmio Especial e o Grande Prêmio da Crítica), Carmelinda Guimarães, Edgar Olimpio de Souza, Evaristo Martins de Azevedo, Gabriela Mellão, José Cetra Filho, Kyra Piscitelli, Marcio Aquiles (votou somente o Prêmio Especial e o Grande Prêmio da Crítica), Maria Eugênia de Menezes, Michel Fernandes, Miguel Arcanjo Prado e Vinício Angelici

TEATRO INFANTIL
Grande Prêmio da Crítica – PEER GYNT, direção de Gabriel Villela
Melhor Espetáculo de Valorização da Cultura Popular - CAMINHO DA ROÇA (Grupo As Meninas do Conto)
Melhor Espetáculo de Bonecos - BERENICES (Grupo Morpheus Teatro)
Melhor Espetáculo de Inclusão e Acessibilidade - FEIO (Coletivo Grão de Arte e Cidadania)
Melhor Espetáculo Interativo - CHIQUITA BACANA NO REINO DAS BANANAS (Grupo Folias D’Arte)
Melhor Espetáculo de Texto Adaptado – HENRIQUES (Cia Vagalum Tum Tum)
Melhor Espetáculo sobre Diversidade Sexual e de Gênero no Universo Infanto Juvenil - A PRINCESA E A COSTUREIRA (grupo Teatro da Conspiração, de Santo André)

Votaram: Beatriz Rosenberg, Dib Carneiro Neto, Gabriela Romeu e Mônica Rodrigues da Costa

TELEVISÃO
Grande Prêmio da Crítica: Domingos Montagner, pelo conjunto da obra (In Memorian)
Novela: “Velho Chico” (Benedito Ruy Barbosa/TV Globo)
Atriz: Selma Egrei (Velho Chico/TV Globo)
Ator: Marco Ricca (Liberdade, Liberdade/TV Globo)
Diretor: José Luiz Villamarim (Justiça/TV Globo)
Série: Justiça (de Manuela Dias/TV Globo)
Infantil: “D.P.A - Detetives do Prédio Azul” (Gloob)
Cobertura Rio-2016: SporTV

Votaram: Bárbara Sacchitiello, Cristina Padiglione, Edianez Parente, Fabio Maksymczuk, Flávio Ricco, José Armando Vanucci, Leão Lobo, Neuber Fischer, Nilson Xavier e Paulo Gustavo Pereira.

DANÇA
Grande Prêmio da Crítica: Marilena Ansaldi
Espetáculo (estreia): Devolve 2 horas da minha vida Projeto Mov_oLA / Alex Santos
Espetáculo (não estreia): “Dança por Correio”
Coreografia / Criação: “Rubedo” – Cia de Dança Siameses / Maurício de Oliveira
Interpretação: Zélia Monteiro por Percursos Transitórios
Revelação: Grupo Fragmento Urbano
Espaço de Difusão: Centro de Referência da Dança da Cidade de São Paulo
Prêmio Técnico: Equipe Técnica do Teatro Alfa
Projeto / Programa: CCSP Semanas de Dança 2016 – Centro Cultural São Paulo
Memória: Ballet Stagium 45 anos
Votaram: Amanda Queirós, Ana Francisca Ponzio, Cássia Navas, Flávia Couto, Henrique Rochelle, Iara Biederman, Renata Xavier, Simone Alcântara e Yashara Manzini

MODA
Revelação em Moda: Lab-Emicida e Evandro Fióti
Coleção: À La Garçonne
Estilista do ano: Ronaldo Fraga
Fotógrafo: Gil Inove
Profissional da Beleza: Fabiana Gomes
Stylist: Pedro Sales
Prêmio Especial da Crítica: Alberto Hiar pela compra da Zoomp
Votaram: Pedro Diniz, Chantal Sordi, Silvia Rogar, Mario Mendes e Matheus Evangelista
 Theatro Municipal de São Paulo

As informações foram retiradas do release de divulgação de imprensa.