♥ Seguidores♥

Mostrando postagens com marcador #monólogo. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador #monólogo. Mostrar todas as postagens

segunda-feira, 14 de maio de 2018

Pança.

Pança.
o espetáculo apresenta, com humor e ironia, questões relacionadas ao mercado, à economia mundial e às sociedades estabelecidas à margem do Estado. A dramaturgia se debruça sobre essa realidade com poesia e lirismo, trazendo à cena, entre outras referências históricas e artísticas, a clássica relação entre Dom Quixote de La Mancha e seu fiel escudeiro, Sancho Pança. Os personagens de Miguel de Cervantes somam-se às inspirações kafkianas e antropofágicas, que também compõem a narrativa.
Pança é o segundo homem mais importante da maior potência econômica do planeta, braço direito do todo poderoso Dom Quixote. Sua tarefa é explicar para os iniciantes, aspirantes ao poder, quais são as regras quando as regras são as regras da vida. O personagem corta grandes pedaços de carne diante de seus ouvintes, ao mesmo tempo que esmiúça, com humor e requintes de crueldade, o funcionamento da economia mundial, a decadência do estado de direito e a instabilidade das relações humanas em sua forma mais bruta. O boato de que ele costuma virar cachorro atrai ainda mais interessados em ouvir o que ele tem a dizer.
Informações retiradas: Funarte.

Ficha técnica:
Atuação: Beto Magnani | Texto: Leo Lama | Direção: Robert Coelho | Assistência de direção: Johnny Faustino | Desenho de luz: Osvaldo Gazotti | Trilha Sonora: Fernando Vasques | Cenário: Silvia Mokreys | Figurino: F. F. Kokocht | Assistência de Figurino: Gilda Vandenbrande | Fotografia e vídeo: Gabriel Seabra | Identidade visual: Magú | Direção de produção: Gabriela Fiorentino | Produção executiva: Ton Prado e Johnny Faustino | Assessoria de imprensa: Adriana Monteiro (Oficio das Letras) | Produção: Charge Produções Artísticas | Realização: Quadrilha de Teatro Notívagos Burlescos.

Em cartaz até 27 de maio. 
Quartas e domingos, às 20h, de quintas a sábados, às 21h.
 Teatro de Arena Eugênio Kusnet.

sábado, 12 de agosto de 2017

Autobiografia Autorizada - Paulo Betti.

Autobiografia Autorizada
Paulo Betti.
A "Autobiografia Autorizada" marca os 40 anos de carreira do ator Paulo Betti, mas neste monólogo, Paulo Betti nos apresenta a pessoa por trás do ator. Ou seja, ele dá ênfase à sua vida pessoal, contando sobre as condições de vida de seus pais (sua mãe foi empregada doméstica e teve 15 filhos, sendo Paulo o filho temporão, e seu pai era esquizofrênico), e pincelando com casos bem humorados da vida dos seus avós (seu avô foi um imigrante italiano que veio trabalhar em uma fazenda no interior de São Paulo e sua avó adorava contar histórias de terror). Paulo Betti também conta um  pouco sobre os seus irmãos, e nos mostra fotos e registros  de seu diário.
Na última parte do espetáculo, Paulo Betti comenta sobre seus amigos e colegas de cena, sobre as novelas, os filme e peças teatrais em que participou.
A "Autobiografia Autorizada de Paulo Betti" é um monólogo muito divertido e que simplesmente nos emociona.
"Lendo as anotações que fiz num cadernão no período de 1982 a 1992, cheguei a conclusão que estava me preparando para revelar as extraordinárias condições que me levaram a sobreviver e a contar como isso aconteceu."Minha fixação pela memória da infância e adolescência, passada num ambiente inóspito e ao mesmo tempo poético, talvez mereça ser compartilhada no intuito de provocar emoção, riso, entretenimento e entendimento."
Paulo Betti.
Um show surpreendente. Que maravilha ter visto Paulo Betti contando sobre sua trajetória e de sua família  com muito bom humor e simplicidade.
Não faltaram casos engraçados e comoventes da sua infância e do inicio da sua adolescência.  Com certeza, cada um lá na platéia se identificou com as histórias contadas.
Valeu a pena todos os segundos deste espetáculo, sobre a historia linda da vida de um dos maiores atores do Brasil. 
Para informações complementares: Autobiografia Autorizada com Paulo Betti
Teatro Vivo.