♥ Seguidores♥

Mostrando postagens com marcador #arteecultura. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador #arteecultura. Mostrar todas as postagens

terça-feira, 13 de dezembro de 2016

Tesouros Paulistas.

 Tesouros Paulistas.
Coleção de arte dos Palácios do Governo do Estado de São Paulo.
Hoje (13/12), começou a Exposição Tesouros Paulistas. Que apresenta obras do Acervo Artístico-Cultural dos Palácios do Governo do Estado de São Paulo.
A Exposição reúne mobiliário, louçaria, prataria, tapeçaria, pintura e escultura, com destaque para alguns ícones da História da Arte brasileira, do período colonial ao Modernismo, com obras produzidas até a década de 1970.  
 
Dividida em três núcleos temáticosMemória das Coleções; O objeto como crônica de costumes e A figura como expressão –, a exposição apresenta 322 obras, algumas reconhecidas por instituições internacionais, como é o caso do Museu de Arte Moderna (MoMA).
Sobre o Acervo de arte dos Palácios do Governo do Estado de São Paulo, o acervo de arte dos Palácios do Governo do Estado de São Paulo reúne peças que acompanham a história dos edifícios, desde a primeira sede de governo, no Pateo do Collegio (1765 a 1932), aos palácios dos Campos Elíseos (1911 a 1965), do Horto (1949 a 2012), dos Bandeirantes e Boa Vista (ambos desde 1964).
A Exposição destaca o cotidiano doméstico dos palácios. 
O gosto pelo antiquariato reunia, nos mesmos ambientes, móveis coloniais e arte sacra, como símbolo de fé e devoção.
A coleção de peças decorativas do acervo dos palácios do Governo, representam os modos de vida e o estrato social da época de seus usos.
Retrato de Mario de Andrade (Tarsila do Amaral). 
Na década de 1970, as escolhas das coleções de arte foram direcionadas para peças do período colonial, fato que dialoga com o programa do movimento modernista, que estimulou o olhar às nossas raízes.
 Alguns dos ícones da história da arte brasileira presentes na exposição: Aleijadinho, Alfredo Volpi, Anita Malfatti, Antonio Gomide, Antonio Rocco, Candido Portinari, Di Cavalcanti, Djanira, Eliseu Visconti, Tarsila do Amaral, Tomás Santa Rosa, Tomie Ohtake, Vicente do Rego Monteiro, Victor Brecheret e Wesley Duke Lee,...
Informações retiradas: www.sesisp.og.br
Centro Cultural Fiesp
Galeria de Arte do Sesi-SP
av. Paulista. 1.313 - em frente à estação de Trianon-Masp do Metrô
De: 13/12/2016 a 28/02/2017

segunda-feira, 12 de dezembro de 2016

"GHOST - O MUSICAL".

GHOST, O MUSICAL ❤🎶👻
Direção de José Possi Neto.
Tivemos a sorte de poder prestigiar a penúltima apresentação de Ghost - O Musical. Ficamos encantados com tudo, o cenário, a atuação, as cenas divertidíssimas da Oda Mae Brown e toda a história comovente de Sam e Molly. É impossível não ficar com lágrimas nos olhos com o reencontro do casal. Eu fiquei muito emocionada, pois Ghost - O Musical, é um espetáculo maravilhoso e encantador. Esta peça nos faz acreditar ainda mais na força do amor.
Espero que o Musical volte em 2017, vale muito a pena ver e rever.
Ghost - O Musical é um espetáculo baseado no filme norte-americano, Ghost – Do outro lado da vida, de 1990, dirigido por Jerry Zucker, com roteiro de Bruce Joel Rubin e estrelado por Demi Moore, Patrick Swayze e Whoopi Goldberg.

Ghost conta a atemporal e forte história do jovem casal, Sam Wheat e Molly Jensen, muito apaixonados, que é interrompida por um assalto que resulta na morte de Sam. Preso neste plano, o espírito de Sam descobre a verdade por trás de seu assassinato e conclui que Molly está em perigo. Enquanto ele busca mais pistas e tenta proteger Molly, ele encontra a falsa vidente Oda Mae Brown. Embora ela tenha sido uma fraude por muitos anos, Sam descobre que ela realmente pode ouvi-lo e pede ajuda para que possa se comunicar com Molly através dela e, assim, alertá-la sobre os riscos que corre.

Com roteiro também de Bruce Joel Rubin, o musical teve sua estreia mundial em Manchester, Inglaterra, em 2011, passou pelo West End de Londres e chegou a Broadway em 2012, antes de seguir em turnê
por outros países.
Informações retiradas do Site do Teatro Bradesco.
Elenco Maravilhoso, fiquei apaixonada pelo Musical. Giulia Nadruz (namorada do Sam), André Loddi (Sam), Ludimillah Anjos(Oda Mae Brown), e Igor Miranda (vilão).
Giulia Nadruz e André Loddi.
❤And time can do so much
Are you still mine?
I need your love
I need your love
God speed your love to me
Lonely rivers flow
To the sea, to the sea
To the open arms of the sea
Lonely rivers sigh
"Wait for me, wait for me"
I'll be coming home, wait for me
Lonely rivers flow
To the sea, to the sea
To the open arms of the sea
Lonely rivers sigh
"Wait for me, wait for me"
I'll be coming home, wait for me
All alone I gaze
At the stars, at the stars
Dreaming of my love far away❤
Teatro Bradesco.

sexta-feira, 9 de dezembro de 2016

Rent.

Rent.
O Musical Que Revolucionou a Broadway.
video
De Jonathan Larson
Versão Brasileira Mariana Elisabetsky
Direção Susana Ribeiro
Direção Musical Daniel Rocha
Direção de Movimento e Coreografia Kátia Barros
Ontem (08/12), aconteceu a Coletiva de Imprensa com a presença do elenco, do pessoal da produção e da direção de um dos Musicais mais aguardados do ano: Rent.
RENT conta um ano na vida de oito jovens que tem que encarar as aventuras e desventuras de seus amores, amizades, conflitos, problemas financeiros, o transparecer da sexualidade e o embate com a finitude humana. Mais que um musical, Rent é uma corrente de amor!
A história começa na véspera de natal, na cobertura de uma antiga editora musical. Um loft industrial onde moram Mark (Bruno Narchi), cineasta perdido que saiu debaixo das asas de seus pais para tentar a sorte na cidade grande e Roger (Thiago Machado), musico ex integrante de uma quase bem-sucedida banda de punk rock, que perdeu sua inspiração ao se ver frente a frente com a morte.
Em meio ao frio congelante, Mimi (Ingrid Gaigher), a vizinha do andar de baixo, bate na porta deles em busca de fogo e acaba reacendendo a vida de Roger. Collins (Max Grácio), gênio da computação e professor universitário, aparece na cidade para passar a noite de natal com seus amigos. Após um assalto, acaba caído em um beco qualquer onde encontra seu salvador, Angel (Diego Montez), percussionista de rua e Drag Queen. Benny (Mauro Sousa), antigo amigo e proprietário do imóvel, aparece para cobrar o aluguel.
Maureen (Myra Ruiz), ex parceira de Mark, é uma artista performática que prepara seu protesto, contra a cobrança e a desapropriação dos terrenos da região, com a ajuda de Joanne (Priscila Borges), advogada feminista e sua atual namorada. A partir de uma única noite, acompanhamos o recorte de um ano na vida dessas pessoas. ‘Um close’ nos encontros e desencontros, na amizade, no agora, na saudade, na solidão, na companhia, na vida, na perda, no cuidar do outro e, acima de tudo, no amor.
 
Elenco: Myra Ruiz, Bruno Narchi, Diego Montez, Thiago Machado,Ingrid Gaigher, Mauro Sousa, Max Grácio, Priscila Borges,Thuany Parente, Carol Botelho, Lívia Graciano, Zuba Janaina,Bruno Sigrist, Arthur Berges, Philipe Azevedo, Felipe Domingues, Guilherme Leal e Kaíque Azarias.
Produtor e realizador do projeto, ao lado de Bel Gomes, o ator Bruno Narchi iniciou essa jornada em 2014 e conta: “RENT foi o musical que me inspirou a fazer musicais. Foi também a primeira vez que pensei em montar e produzir um espetáculo. Somente dez anos depois, em uma conversa de camarim com outros colegas de elenco do musical ‘Cazuza – Pro Dia Nascer Feliz’, nos questionamos sobre qual musical gostaríamos de fazer e produzir. Mais uma vez apareceu o nome: RENT. Hoje, vejo e acredito muito que o próprio projeto fez sua seleção natural. Formamos um time que defende essa obra com tudo aquilo que ela merece. Garra, verdade, vontade e amor. Muito amor. Um grupo de amigos falando de um grupo de amigos.”
Poético, visceral e humano, RENT não pode ser visto apenas como “mais um musical”. Revolucionário e atual, ele nos envolve com nossos questionamentos diários, nos convida para sua realidade palpável e nos provoca com nossas semelhanças. Uma trama de escolhas e consequências que nos mostram a fragilidade da vida, a velocidade do tempo e a força de um sentimento.
A busca por uma voz. A vida mensurada em amor...
RENT
Teatro Shop. Frei Caneca (600 lugares)
Rua Frei Caneca, 569 / 7º andar
Bilheteria: 3472.2229
Terça a domingo, a partir das 13h. Aceita todos os cartões de débito e crédito, não aceita cheque. Estacionamento do shopping - R$ 10 as duas primeiras horas
Vendas: 4003.1212 - www.ingressorapido.com.br
Terças e Quartas às 21h
** sessão extra dia 19/12, segunda, às 21h **
Ingressos:
R$ 100
Duração: 150 minutos
Recomendação: 14 anos
Gênero: musical
Temporada 2016: dias 14, 19, 20 e 21 de Dezembro
Temporada 2017: de 10 de Janeiro até 29 de Março

Informações retiradas do release de divulgação de imprensa.

terça-feira, 6 de dezembro de 2016

Yentil Em Concerto - Alessandra Maestrini.

Yentl em Concerto
 Alessandra Maestrini.
Ontem (05/12), foi a última apresentação de "Yentl em Concerto" no Teatro Porto Seguro.
Uma linda história de superação e aprendizado para se emocionar e se surpreender. Esperávamos assistir a um concerto ou algo do gênero, mas o que vimos ultrapassou em muito as nossas expectativas. Alessandra Maestrini, além de cantar magistralmente, interpreta lindamente Yentl, uma jovem judia que se faz passar por homem, para fugir da ignorância em uma época em que as mulheres não podiam estudar.
Yentl se apaixona por Avgdor, seu colega de estudos. Ela, então resolve decidir até onde está disposta a abrir mão de sua identidade pra adquirir conhecimentos.
Espetáculo concerto.
Alessandra Maestrini.
João Carlos Coutinho.
Alessandra Maestrini concebeu "Yentl em Concerto" a partir do filme homônimo de Barbra Streisand e o conto Yentl - The Yeshiva Boy, de Isaac Bashevis Singer, com melodias de Michel Legrand e letras de Alan e Marilyn Bergman.
Ficha Técnica: (retirada do site do Teatro Porto Seguro)
Idealização, roteiro, direção e intérprete: Alessandra Maestrini
Direção Musical e ao Piano: João Carlos Coutinho
Músicas: Michel Legrand
Letras: Alan & Marilyn Bergman
Figurino: Fábio Namatame
Visagismo: Wilson Eliodoro
Design de Som: Mario Jorge Andrade
Design de Luz: Wagner Freire
Assessoria de imprensa: Aline Salcedo
Fotografia: Priscila Prade
Diretor de Produção: Jorge Elali
Produtora Assistente: Carla Schvaitser
Realização: Maestrini Produções
 
Teatro Porto Seguro.

segunda-feira, 5 de dezembro de 2016

O Coração Dos Homens.


 O Coração Dos Homens.
Texto: Veronica Stigger
No romance “Amuleto”, de Roberto Bolaño, um dos personagens alude ao “coração dos homens, que sangra como as mulheres […] e que obriga os verdadeiros homens a se responsabilizarem por seus atos, quaisquer que sejam”. Desta passagem, a jovem e premiada autora brasileira Veronica Stigger extraiu o título de seu novo monólogo, que nos coloca diante da voz de uma mulher que relembra sua infância, em Porto Alegre, nos últimos anos da ditadura militar. Da rememoração de uma peça infantil, encenada em inglês para alunos de pré-escola, emerge uma reflexão que tem no sangue uma espécie de motivo condutor, sobre a violência implícita nas relações de gênero, classe e raça. O texto sensível de Veronica evidencia tanto um conflito social da personagem como um conflito existencial, características que levam o público a transitar entre a emoção e o estranhamento, favorecendo a reflexão para além do simples envolvimento.

Parte do monólogo integra Sul (Editora 34), livro da autora.
Sinopse retirada do programa da peça.
O cenário da peça é montado de um modo como se estivéssemos em uma sala de terapia. A atriz representa uma paciente que nos envolve com seus relatos e vai  narrando os conflitos de sua vida e apresenta para a plateia,  que as relações humanas podem ter uma violência implícita ou explícita, principalmente em relação contra as mulheres.

Trecho do poema O Coração Dos Homens .
(Veronica Stigger).

...Todos tinham que se ajoelhar no chão duro e gelado
e entoar cinco pai-nossos, quatro ave-marias e dois credos.
E, depois, deviam ler, em uníssono, este trecho da Bíblia:


“Quando uma mulher tiver um fluxo de sangue 

e que seja fluxo de sangue do seu corpo, 

permanecerá durante sete dias na impureza das suas regras.



Quem a tocar ficará impuro até a tarde...

Toda cama sobre a qual se deitar com o seu fluxo ficará impura, 

todo móvel sobre o qual se assentar ficará impuro...

Tietando Fernanda Cunha.
Teatro do Cemitério De Automóveis
Temporada: Até 18 de Dezembro de 2016.
Ingresso: R$ 20,00

segunda-feira, 28 de novembro de 2016

Auê.


 Auê.
Direção duda Maia
A Companhia Barca dos Corações Partidos apresenta Auê, que é uma mistura de tudo e mais um pouco: teatro, musical, show performático... e é composta por atores que são cantores, bailarinos e instrumentistas. Auê não é uma peça no sentido tradicional, com um texto. A Cia inovou com canções e poesia (que lembra, pelo menos para mim, os livros de cordel). Sem contar com a linguagem corporal consegue passar todas as mensagens que tocam no nosso coração. Excelente espetáculo que vale muito a pena ser visto e aplaudido.  
 
Elenco: Ádren Alves, Alfredo Del-Penho, Beto Lemos, Eduardo Rios, Fabio Enriquez, Renato LucianoRicca Barros. Músico convidado: Rick de La Torre. 
 
 
Teatro Faap.
Sexta-feira: de R$ 50 à R$ 60
Sábado e domingo: de 50 à R$ 70,00

Sextas e sábados às 21h e Domingos às 18h
Duração: 90 minutos
Classificação etária: 12 anos