♥ Seguidores♥

Mostrando postagens com marcador #Teatro. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador #Teatro. Mostrar todas as postagens

sexta-feira, 18 de maio de 2018

Mercedez com Z.

Mercedez com Z.
Sexta foi o dia de ir no teatro com as amigas assistir a divertida comédia "Mercedez com Z", no teatro Gazeta.
Mercedez com Z conta a história de uma dona de casa suburbana, Mercedez, que abre seu coração para um locutor de rádio das madrugadas. Se revezando em vários personagens, Adriana Nunes e Similião Aurélio permitem, então, que o espectador entre em contato com um universo feminino terno e verdadeiro onde transitam, com naturalidade e humor, temas como sexo, trabalho, vaidade, educação, família, direitos, comportamento etc.
O espetáculo se propõe a retratar, através de uma história de vida, os percalços que as mulheres têm enfrentado rumo ao empoderamento feminino. A comédia traz à luz o cotidiano com o qual tantas mulheres se identificam, e nele o exercício em busca de seus direitos e deveres, num caminho inevitável e transformador, porém ainda tortuoso, para uma sociedade que enxergue homens e mulheres de forma harmônica.
Mercedez com Z é, acima de tudo, um espetáculo que trata de esperança, felicidade e amor com muito humor. Divirta-se!
Informações retiradas:Teatro Gazeta.
Elenco: Adriana Nunes e Similião Aurélio.
Teatro Gazeta.

quinta-feira, 17 de maio de 2018

O Leão No Inverno.


O Leão No Inverno.
Texto: James Goldman.
Dia 15 (terça-feira), foi o ensaio aberto da peça "O Leão No Inverno", que estreia no dia 18 de maio. O espetáculo tem uma ótima história que retrata sobretudo complôs, traições, conchavos, manipulação e a busca incessante pelo poder. Os personagens são complexos e os diálogos são fortes e intensos. Em "Leão no Inverno", a realeza usa de todos os meios para alcançar seus objetivos. 
Na meia-idade, mas ainda forte e poderoso, o Rei Henrique II mantém sua esposa, a lendária rainha Eleanor, de Aquitânia, confinada em uma torre, por alta traição. Nas festas de fim de ano, ele a solta e a convida para se juntar à família. Eleanor aproveita a oportunidade e começa a conspirar, pois quer influir na sucessão de Henrique.
Ela luta para que seu filho mais velho, Ricardo, o futuro “Coração de Leão”, seja o próximo rei. Henrique, por outro lado, prefere o filho caçula, que ficará, mais tarde, conhecido como João “Sem-Terra”.
Nem Henrique, nem Eleanor, se importam muito com o filho do meio, Geoffrey, que ora se alia a um irmão, ora a outro. Geoffrey está apenas interessado em obter as maiores vantagens, qualquer que seja o escolhido para ocupar o trono.
Elenco: Leopoldo Pacheco, Regina Duarte,Caio Paduan, Filipe Bragança,
Camila dos Anjos, Michel Waisman, Sidney Santiago Kuanza .
Teatro Porto Seguro.
Gênero: Drama 
Duração: 100 minutos
Classificação Etária: 12 anos 
Sextas e sábados, às 21h
Domingos, às 19h

segunda-feira, 14 de maio de 2018

Pança.

Pança.
o espetáculo apresenta, com humor e ironia, questões relacionadas ao mercado, à economia mundial e às sociedades estabelecidas à margem do Estado. A dramaturgia se debruça sobre essa realidade com poesia e lirismo, trazendo à cena, entre outras referências históricas e artísticas, a clássica relação entre Dom Quixote de La Mancha e seu fiel escudeiro, Sancho Pança. Os personagens de Miguel de Cervantes somam-se às inspirações kafkianas e antropofágicas, que também compõem a narrativa.
Pança é o segundo homem mais importante da maior potência econômica do planeta, braço direito do todo poderoso Dom Quixote. Sua tarefa é explicar para os iniciantes, aspirantes ao poder, quais são as regras quando as regras são as regras da vida. O personagem corta grandes pedaços de carne diante de seus ouvintes, ao mesmo tempo que esmiúça, com humor e requintes de crueldade, o funcionamento da economia mundial, a decadência do estado de direito e a instabilidade das relações humanas em sua forma mais bruta. O boato de que ele costuma virar cachorro atrai ainda mais interessados em ouvir o que ele tem a dizer.
Informações retiradas: Funarte.

Ficha técnica:
Atuação: Beto Magnani | Texto: Leo Lama | Direção: Robert Coelho | Assistência de direção: Johnny Faustino | Desenho de luz: Osvaldo Gazotti | Trilha Sonora: Fernando Vasques | Cenário: Silvia Mokreys | Figurino: F. F. Kokocht | Assistência de Figurino: Gilda Vandenbrande | Fotografia e vídeo: Gabriel Seabra | Identidade visual: Magú | Direção de produção: Gabriela Fiorentino | Produção executiva: Ton Prado e Johnny Faustino | Assessoria de imprensa: Adriana Monteiro (Oficio das Letras) | Produção: Charge Produções Artísticas | Realização: Quadrilha de Teatro Notívagos Burlescos.

Em cartaz até 27 de maio. 
Quartas e domingos, às 20h, de quintas a sábados, às 21h.
 Teatro de Arena Eugênio Kusnet.

sexta-feira, 11 de maio de 2018

Muito Louca.

Muito Louca.
De Gabriel Chalita
Direção Hudson Glauber
Muito Louca é uma peça sobre o universo complexo das relações humanas, onde Janete (Fafy Siqueira) e Tete (Suely Franco) discutem o passado em comum e suas frustrações amorosas. Fatos cotidianos ilustram o diálogo das personagens que falam sobre seus terapeutas, as dificuldades de superarem amores passados e o medo da solidão. Nesta peça irreverente, duas grandes amigas passam a limpo suas trajetórias de vida. Entre risadas, superstições, segredos, lágrimas, farpas e picuinhas, elas relembram o passado em comum.
Trata-se de um diálogo entre duas mulheres, em momentos diferentes de suas vidas, onde fatos cotidianos ilustram problemas afetivos. Falam de seus terapeutas e das dificuldades de superarem as amarras que as fazem infelizes. Falam de seus amores e do quanto o medo da solidão faz com que mintam para si mesmas. Falam de suas famílias e das ausências que sentem. Falam da vida.
Enfim, a história de ambas leva o público a percorrer os seus próprios universos pessoais, femininos ou masculinos,  cheios de medos e carências, mas com alguma esperança. No inicio, elas ainda têm muito tempo de vida. No final da peça, acompanha-se o entardecer de suas vidas. Olhamos com elas para o que foi possível viver e para o que ficou faltando.
“Janete e Tetê tem aquilo que chamamos de relação de amor e ódio, o tempo todo implicando uma com a outra, mas sempre com muito carinho. São amigas desvairadas, que com humor e ironia abordam temas delicados como amizade, amor, ciúme, solidão, dúvidas em relação ao futuro e arrependimentos em relação ao passado”, comenta o diretor Hudson Glauber.
Informações retiradas: Morente Forte.
Elenco: Suely Franco e Fafy Siqueira
Teatro Raul Cortez.

quinta-feira, 10 de maio de 2018

O Arquiteto E O Imperador Da Assíria.

O Arquiteto E O Imperador Da Assíria.
Montagem dedicada ao aniversário de 50 anos da primeira publicação de O Arquiteto e o Imperador da Assíria, que é uma das obras mais importantes de Fernando Arrabal.
Tivemos o prazer de assistir "O Arquiteto e o Imperador da Assíria". Peça divertidíssima, com atores fantásticos e com um cenário e iluminação perfeitos.
Vale muito a pena ver a peça por diversas razões, entre elas: para ver em cena o inusitado, amizade, filosofia, inocência, a mistura do bem e do mal, diálogos nada óbvios e a ilusão. Tudo isso dentro de uma peça que faz parte do Teatro do absurdo. 
A história do "O Arquiteto e o Imperador da Assíria" se passa em uma ilha selvagem, onde vive um único habitante. Certo dia, por causa de um acidente aéreo, o único sobrevivente da tragédia também vai parar na ilha. A partir desta situação, os dois personagens vivem uma maratona de emoções; ora se digladiam, ora se solidarizam, em uma convivência claustrofóbica, surpreendente e permeada por refinado humor.
Elenco: Rubens Caribé e Eduardo Silva. 
Que absurdo! de absurdo não tem nada.
De fato quando nos deparamos com textos desta natureza percebemos a incrível capacidade que têm de reproduzir nossa vida como é: instável. Complexa, esperançosa e porque não, divertida.
O Arquiteto e o Imperador da Assíria é uma obra sem fim. Tem dimensões galácticas. Marca a data de estreia é definir o recorte que se tentará mostrar. Um recorte infinito...
E assim navegamos maremotos calmos e turbulentas calmarias. Guiados por nosso imperadorarquiteto.
Léo Stefanini
Ficha Técnica
Texto: Fernando Arrabal
Tradução: Wilson Coelho
Direção: Léo Stefanini
Teatro Jaraguá – Rua Martins Fontes, 71 – Centro. São Paulo – SP
Temporada:Até 1º de julho. 
Às sextas, às 21h30; aos sábados, às 21h; e aos domingos, às 19h
Teatro Jaraguá.

quinta-feira, 3 de maio de 2018

A Pequena Sereia.

A Pequena Sereia.
Musical.
Hoje foi o dia de viver uma das aventuras mais bonitas da Disney. A pequena Sereia é um espetáculo incrível, com cenário, iluminação, figurino, efeitos especiais e atores de primeira qualidade. As caracterizações ficaram perfeitas e foi incrível terem abrasileirado em alguns momentos o musical. Foi muito engraçado o Sebastião(caranguejo), com sotaque nordestino e a o rio repleto de vitória-régia.
Assistimos a apresentação das 17:00 horas com os stand-ins dos personagens Ariel, Úrsula e Sebastião e adoramos.
Um dos melhores momentos do espetáculo foi quando a Ariel salva o príncipe, foi a cena mais linda. Sem contar quando Ariel se transforma em humana e do passeio romântico de barco.
O musical é lindo e de encher os olhos, é a oportunidade perfeita de ver uma produção da Broadway em São Paulo
O musical ‘A Pequena Sereia’, superprodução da Broadway inspirada no filme da Disney. Com base na clássica história Hans Christian Andersen, ‘A pequena sereia’ tem como protagonista Ariel, que vive no fundo do mar, mas quer fazer parte do mundo dos humanos. Depois de tomar coragem e fazer um acordo com Úrsula, a esperta bruxa do mar, Ariel embarca na aventura da sua vida. Ao lado de Linguado e Sebastião, Ariel precisará de coragem e determinação para fazer o bem para os seus dois mundos.
Informações: Teatro Santander.
Elenco:Fabi Bang (Ariel), Tiago Abravanel (Sebastião), Rodrigo Negrini (príncipe Eric), Andrezza Massei (Úrsula) e Lucas Cândido (Linguado) estarão ao lado de Conrado Helt (rei Tritão), Fábio Yoshihara (Grimsby), Elton Towersey (Sabidão), Lucas de Souza (Limo), Marcelo Vasquez (Lodo) e Arízio Magalhães (Chef Louis). O elenco traz ainda Alberto Venceslau, Alessandra Dimitriou, Ana Araújo, Andreza Meddeiros, Bruna Vivolo, Carla Vazquez, Daniel Caldini, Fernanda Muniz, Guilherme Pereira, Henrique Moretzsohn, Johnny Camolese, José Dias, Letícia Soares, Marisol Marcondes, Murilo Armacollo, Nay Fernandes, Renato Bellini, Rodrigo Garcia, Sandro Conte, Vanessa Mello, Willian Sancar e Ygor Zago.
Teatro Santander.